Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 23 de Junho de 2018. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
21835161


Edicão n° 178 de Março 2018


EDUCAçãO

Cursos técnicos EAD: Senac-RS prorroga inscrições


O Senac-RS prorrogou as inscrições para cursos técnicos na modalidade a distância (EAD), em todas as escolas e unidades. São mais de 50 polos, espalhados por todas as regiões do Estado. No total, são 11 opções de cursos nas áreas de Comércio, Design, Gestão, Informática, Meio Ambiente, Segurança e Turismo. As inscrições podem ser feitas pelo site www.ead.com.br/cursos-tecnicos, até o dia 30 de abril.

Segundo dados do Ministério da Educação (MEC), a Educação a Distância (EAD) é a modalidade de ensino que mais cresce no Brasil. A Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED) apontou que, apenas em 2016, mais de 500 mil alunos se matricularam em cursos nessa modalidade.

A metodologia de ensino a distância do Senac é centrada no aluno, por isso as qualificações disponibilizam diversos recursos tecnológicos que facilitam a aprendizagem com orientação e acompanhamento online. Além do horário flexível, a modalidade EAD tem como vantagens o respeito ao ritmo de cada aluno, o desenvolvimento de competências valorizadas no mundo do trabalho, como organização, proatividade e responsabilidade, além de apresentar menor custo com deslocamento e a possibilidade de conciliar os estudos e a vida profissional.

As disciplinas a distância utilizam o Ambiente Virtual de Aprendizagem, que
possibilita ao aluno acessar o conteúdo em qualquer local e horário.

Confira abaixo os cursos oferecidos:

Comércio

Técnico em Transações Imobiliárias

Design

Técnico em Design de Interiores

Gestão

Técnico em Administração

Técnico em Logística

Técnico em Qualidade

Técnico em Recursos Humanos

Informática

Técnico em Informática

Técnico em Programação de Jogos Digitais

Meio Ambiente

Técnico em Meio Ambiente

Segurança

Técnico em Segurança do Trabalho

Turismo

Técnico em Guia de Turismo

Mais informações sobre os cursos oferecidos pelas escolas podem ser obtidas no site www.ead.senac.com.br/cursos-tecnicos. ...

Pesquisa com estudantes apresenta dados da violência escolar na capital


A Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), com apoio da Secretaria da Educação (Seduc) e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), apresentou nesta terça-feira (24) os resultados da pesquisa do Programa O Papel da Educação para Jovens Afetados pela Violência e Outros Riscos. O encontro, ocorrido no Auditório Paulo Freire, no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff), teve a presença de diretores e alunos das 25 instituições de ensino da capital envolvidas no projeto.

De acordo com a coordenadora do programa, Miriam Abramovay, a pesquisa foi importante para identificar o perfil dos estudantes que mais sofrem com a violência. Segundo ela, em Porto Alegre, assim como nas demais regiões do país, os jovens negros, pobres e que se incluem no público LGBT são os mais afetados. "Além dos já tradicionais tipos de crimes relacionados ao tráfico de drogas, existe uma série de violências que trata da questão da discriminação étnica, de classe e de gênero", explica.

Para a secretária-adjunta de Educação, Iara Wortmann, os dados da pesquisa contribuem para o trabalho das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes e Violência Escolar (Cipaves), que já funcionam em 2,5 mil escolas do Estado. "Este é um momento importante de avaliação, que irá fortalecer o combate à violência nas nossas instituições de ensino", destaca.

Pesquisa

A pesquisa foi feita através de 1,2 mil questionários, entre 2016 e 2017, em 25 instituições de ensino de Porto Alegre. Destas, quatro foram escolhidas para o desenvolvimento de ações de prevenção da violência dentro do programa, com foco no Ensino Médio.

Escolas participantes

Raul Pilla, Piratini, Baltazar de Oliveira Garcia, Rafaela Remião, Cel. Emilio Massot, Cônego Paulo de Nadal, Dom João Becker, Eng. Ildo Meneghetti, Florinda Tubino Sampaio, Francisco A. Vieira Caldas Jr, Odila Gay da Fonseca, Padre Rambo, Paula Soares, Prof. Elmano Lauffer Leal, Protásio Alves, Ruben Berta, Dolores Alcaraz Caldas, Dom Diogo de Souza, Fernando Gomes, Gomes Carneiro, Alberto Torres, Ceará, Gen. Flores da Cunha, Rio Branco e Gen. Álvaro Alves da Silva Braga.

Resultados da pesquisa

– 42% dos estudantes já sofreram algum tipo de agressão na escola, dos quais os mais comuns são roubos e furtos (14%); brigas/agressão física (14%); xingamentos (13%); uso de drogas ilícitas (11%); uso de bebidas alcoólicas (9%).

– 79% declaram que já foram discriminados: 12% pela sua raça/cor; 10% por ser homem/mulher; 9% pela orientação sexual; 11% pela religião; 10% pela classe social; 8% pela preferência política; 17% pela roupa/aparência e 11% pelo lugar onde mora.

– O entorno das escolas também é identificado como preocupante uma vez que 86% dos pesquisados declararam haver violência decorrente de assaltos (16%); roubos/furtos (14%); uso de drogas ilícitas (9%) e brigas/agressão física (8%).

– Os jovens afirmam que sentem falta de serem ouvidos e de dialogarem com os adultos, que "deveriam considerá-los como atores fundamentais no processo ensino-aprendizagem". Apontam ainda a dificuldade de viver em uma sociedade violenta e conservadora e discriminatória em relação a questões de gênero, orientação sexual, raça/cor.

– Sobre o futuro, muitos querem fazer uma faculdade e ter uma profissão e alguns refletem sobre a situação do Brasil, a vontade de estudar e a de trabalhar em outro país.

– Sentem-se discriminados pelo lugar onde moram e quando realizaram entrevistas de emprego vivenciaram a exclusão social por serem pobres e morarem em áreas periféricas. No entanto, houve também depoimentos sobre alegria, diversão, amizades, crença no futuro, mostrando-se resilientes, dando continuidade a sua vida e escolaridade.
...

Conselho Estadual de Educação dá posse a nove membros


Nove membros foram empossados na manhã desta segunda-feira (23) no Conselho Estadual de Educação. A solenidade ocorreu no Auditório Paulo Freire, no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff), e contou com a presença do secretário Ronald Krummenauer. Os novos empossados têm um mandato de quatro anos.

A sessão foi comandada pelo 2º vice-presidente José Amaro Hilgert, que salientou a importância do órgão no sistema educacional do Rio Grande do Sul. “Hoje à tarde, já temos reunião no Conselho, que não para e sempre trabalha em prol da educação gaúcha”, salientou. Krummenauer desejou boa sorte aos empossados. “O Conselho tem a missão de ajudar na preparação de alunos nascidos já no século 21, o que é um grande desafio”, afirmou o secretário.

Duas das novas conselheiras atuaram este ano na Secretaria da Educação (Seduc). Ana Rita Bagestan vinha exercendo a função de diretora pedagógica da Superintendência das Escolas Profissionais do Estado (Suepro). “Que este Conselho seja um lugar de amor, pensando sempre nos jovens, nos alunos, para que consigamos deixar algo melhor para os que estão vindo”, disse. Beatriz Edelwais Steiner Assmann, em 2018, atuou no Departamento de Articulação com os Municípios e, posteriormente, no Departamento das Coordenadorias Regionais. Filha de professores, ela destacou do início de seu trabalho, na cidade de Feliz, e dos 25 anos envolvida com a educação. “Considero este momento um dos mais importantes da minha carreira. Agradeço a confiança”.

Em seu discurso de posse, o conselheiro Ruben Goldmeyer informou que iniciou no setor educacional em 1973. “Aprendi, lá nas barrancas do Uruguai, que na Educação a gente tem de falar em ação conjunta, em parceria. Só com respeito e diálogo é que se constrói”.

Participaram também da solenidade a secretária-adjunta da Educação, Iara Wortmann; a coordenadora da Divisão Porto Alegre (DPA) da Seduc; Sandra Mauat, além de prefeitos, secretários municipais de Educação, representantes de instituições de ensino e de sindicatos (entre elas, Uergs, Aoergs, Sinpro; Sinepe), da Apae e de outras entidades ...

Estudo apresenta dados da violência escolar no Ensino Médio


A Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), com apoio da Secretaria da Educação (Seduc), e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), vai apresentar nesta terça-feira (24) os resultados da pesquisa do Programa O Papel da Educação para Jovens Afetados pela Violência e Outros Riscos no Ceará e no Rio Grande do Sul. O encontro será no Auditório Paulo Freire, no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff), às 13h30.

O projeto, que identificou Porto Alegre e Fortaleza como as duas capitais com maiores índices de violência no país, aplicou cerca de 1,2 mil questionários, entre 2016 e 2017, no Rio Grande do Sul. No total, foram selecionadas 25 instituições de ensino da capital. Destas, quatro foram escolhidas para o desenvolvimento de ações de prevenção da violência, com foco no Ensino Médio. O resultado da pesquisa será apresentado pela coordenadora do programa e representante da Flacso no Brasil, Miriam Abramoway.

De acordo com a coordenadora do Grupo de Trabalho do Novo Ensino Médio da Seduc, Adriana Schneider, o projeto desenvolvido tem como objetivo dar o protagonismo para os jovens na superação das adversidades dentro da escola. "Além de contribuir com resultados muito valiosos, o programa dá protagonismo ao jovem. Auxilia e permite que eles sejam os criadores das atividades. Isso, com certeza, irá trazer um impacto muito positivo para os próximos anos", explica.

Objetivos

O programa ressalta a importância de discutir a escola como lugar criativo, resgatando seu compromisso social através do protagonismo juvenil. A proposta é aprofundar e entender melhor a relação entre os fatores de risco, como a violência, a condição socioeconômica dos jovens e a exclusão escolar. O trabalho também prevê a implementação de estratégias que possam contribuir para diminuição da violência, da distorção idade/série e do fracasso escolar.
...

Bate-Papo com os diretores alcança todos os gestores escolares do Rio Grande do Sul


Depois de mais de 4,3 mil quilômetros percorridos em 17 encontros pelo estado, 112 horas de reunião de trabalho e outras 57 horas na estrada em 46 dias, o Bate-Papo com os diretores atingiu a meta de colocar frente a frente os mais de 2,5 diretores de escolas estaduais e o secretário da Educação, Ronald Krummenauer. O evento desta segunda-feira (16), na Secretaria da Educação (Seduc), promoveu o encontro de 83 diretores de Porto Alegre - outros 166 da capital já haviam conversado com o secretário e exposto suas principais demandas.

“Claro que muito problemas já sabíamos, mas não tenho dúvidas de que foi um gigantesco aprendizado para todos nós. Vamos ter bem mais subsídios para trabalhar os problemas que identificamos, sobretudo os que mais se repetem. Ao mesmo tempo, os gestores escolares puderam ter contato com área das Seduc para tirar dúvidas e saber sobre o andamento de processos”, resumiu Krummenauer.

Responsável por compilar os dados obtidos com o Bate-Papo, o diretor do Departamento das Coordenadorias Regionais (DCR), Carlos Fraga, tem agora a missão de examinar os 1.713 papéis preenchidos pelos diretores - são demandas específicas de cada escola, sugestão e pedido de averiguação de determinados processos. “Todos os formulários estão sendo encaminhados para as áreas competentes. Nenhum vai ficar sem resposta”, assegura o diretor, que participou de todos os encontros e, além dos documentos preenchidos pelos diretores, fazia anotações de problemas recorrentes.

Demandas

A primeira medida constatada com a ajuda do Bate-Papo diz respeito a problemas com a parte elétrica de mais de 80% dos prédios das instituições de ensino. Muitos têm mais de 50 anos e jamais passaram por reformas estruturais. “É um grande problema, que infelizmente nunca foi tratado de forma a abranger o Estado todo, apenas um reparo ali e outro aqui. Estamos preparando uma ação que possa ser feita de forma simultânea em praticamente todas as partes do Rio Grande do Sul”, revelou o secretário.

O primeiro passo foi o convênio junto a oito universidades de Engenharia Elétrica - outras duas já foram contatadas e as tratativas estão em andamento. O projeto prevê que profissionais da Secretaria de Obras, professores e alunos formandos desenvolverão, juntos, projetos para reforma elétrica nas escolas. Uma força-tarefa que, além de reduzir os custos dos projetos, vai acelerar o início das obras. “Parte da verba utilizada será do empréstimo já obtido junto ao Banco Internacional (Bird). É uma ação que terá início ainda este semestre”, informou Krummenauer.

Além de falar diretamente com o secretário, nos encontros os diretores de escolas puderam falar com os responsáveis de áreas estratégicas da Seduc: Administrativo, Logística, Pedagógico, Planejamento, Recursos Humanos e Cipave. “Durante os eventos, mais de cem diretores me procuraram querendo implantar a Cipave em sua escola. Mas a maior quantidade de perguntas foi sobre o nosso jogo virtual, o Banneville. A aceitação foi excelente”, revelou a coordenadora da Cipave, Luciane Manfro.

Preparação

“Muitos diretores nos procuraram para saber sobre suas obras e ficaram surpresos em saber que não estavam preenchendo da maneira adequada seus pedidos. Com certeza saíram do Bate-Papo mais preparados para dar prosseguimento às suas demandas”, opinou o diretor administrativo Rogério Leal, que participou de todos os encontros.

Em Porto Alegre, cerca de 50 dos 249 diretores não ficaram até o final dos eventos e, ainda mês, voltarão à Seduc para uma nova rodada de diálogos com o secretário. “A ideia é tão boa que deveria ter sido feita antes. Mas nada impede que seja repetida todos os anos”, afirmou a diretora da Escola do Campo Edmar Kruel, de Ijuí, Neusa Andreatta. “Eu nunca tinha visto um secretário vir até aqui para nos escutar, saber quais são realmente nossos problemas. Ele ouvindo sempre fica mais fácil, e aumenta nossa esperança de resolver o que está errado", completou a diretora, participante da primeita etapa do projeto, dia 1º de março, em Ijuí.
...

Cursinho online à distância promove simulado gratuito para o Enem 2018


O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) deste ano acontece só em novembro, mas, para quem está em ano pré-vestibular e busca um bom resultado na prova, toda antecedência ainda é pouca. Uma dica dos professores para este período de preparação é que o aluno faça pequenos testes durante o ano, de modo a tornar mais familiar o molde das questões e o dia da prova menos intimidante. E não há maneira mais adequada de fazer isso do que a simulação de uma prova idêntica à do Enem.

Pensando nisso, o Stoodi - plataforma de educação à distância com foco em Enem e pré-vestibular - promove nos próximos dois finais de semana o 1° Simulado do Enem. As provas foram formuladas segundo os padrões do Enem e a correção obedecerá a Teoria da Resposta ao Item (TRI), mesmo modelo que o Inep usa para corrigir as provas. Além disso, os vestibulandos receberão um relatório de desempenho personalizado, que indica quais disciplinas e assuntos estão suficientes, e, quais ainda carecem de melhoria, possibilitando a eles direcionar os seus esforços de estudos nessas áreas.

As provas estão programadas para dois finais de semana e sua divisão obedece à do Enem. Para os dias 14 e 15 de abril, estão programadas as provas de Linguagens e Ciências Humanas, disponíveis para realização a partir das 12 horas do sábado até as 22 horas do domingo. Já nos dias 21 e 22 de abril, estão previstas as provas de Matemática e Ciências da Natureza, disponíveis para realização no mesmo período: a partir das 12h do sábado até as 22h de domingo. 150 mil estudantes já se inscreveram para este simulado.


No dia 18 será liberado o gabarito das provas do primeiro final de semana e, no dia 25, o do segundo final de semana de provas. Para quem for aluno do Stoodi, ainda há prêmios imperdíveis para os primeiros colocados no simulado. Quem ficar em primeiro lugar, ganhará um Notebook Dell. Já quem tiver a segunda melhor nota, ganhará um iPad Apple e o terceiro, uma câmera GoPro Hero 5.

Camila Pereira, gerente de produtos do Stoodi, conta que a melhor forma de tirar proveito dos simulados é tentar replicar ao máximo as condições reais do teste: tempo de resolução, horário da prova e disciplina, ou seja, nada de ficar parando toda hora para ir ao banheiro ou mexer no celular. "Por isso, é importante garantir que o local de resolução do simulado não esteja passível de interrupções, além de deixar todo o material necessário à mão: caneta, lápis, borracha, folhas de papel de rascunho e pequenos lanches", explica.

Lista de prêmios para alunos do Stoodi

1º colocado: Notebook Dell Inspiron Intel Core i7 8GB

2º colocado: iPad Apple 128 GB

3º colocado: GoPro Hero 5

4º colocado: Fone de ouvido Beats EP

5º colocado: Kindle Paperwhite

6º colocado: Mochila para Notebook até 15" + Vale livro da Saraiva

7º colocado: Pacote com 15 créditos de redação do Stoodi

8º colocado: Pacote com 10 créditos de redação do Stoodi

9º colocado: Pacote com 5 créditos de redação do Stoodi

10º colocado: Kit Stoodi

Calendário do Simulado online gratuito do Stoodi:

14 A 15 DE ABRIL

Provas de Linguagens e Ciências Humanas, disponíveis para realização a partir das 12 horas do sábado até as 22 horas do domingo.

18 DE ABRIL

Prazo para liberação do gabarito e nota TCT das provas de Linguagens e Ciências Humanas

21 A 22 DE ABRIL

Provas de Matemática e Ciências da Natureza, disponíveis para realização a partir das 12 horas do sábado até as 22 horas do domingo.

25 DE ABRIL

Prazo para liberação do gabarito e nota TCT das provas de Matemática e Ciências da Natureza

27 DE ABRIL

Prazo para liberação da nota TRI

Sobre o Stoodi

Lançado em 2013, o Stoodi é uma startup de educação à distância que oferece videoaulas, plano de estudos e monitorias transmitidas ao vivo. A plataforma nasceu com o objetivo de democratizar o acesso à educação no país, oferecendo uma plataforma intuitiva e acessível para facilitar a vida dos estudantes em fase pré-vestibular e de alunos do ensino médio que precisam de reforço escolar. A plataforma já conta com 1 milhão de alunos cadastrados e 40 milhões de aulas assistidas, que correspondem a 5 milhões de horas de conteúdo.



...

Experiência inspiradora nos Estados


Foram praticamente duas semanas de experiências inesquecíveis para os integrantes da equipe #383 que representou o Brasil em duas regionais do FIRST Robotics Competition, um dos mais importantes torneios de robótica do mundo e que reúne estudantes de diversas partes do mundo.

A missão parecia simples: colocar pesos em uma balança. Porém, esse desafio tornava-se muito maior quando feito por robôs, inicialmente programados sem interferência humana e, depois, competindo contra adversários em quadra.

Os cubos eram colocados pelos robôs na balança, fazendo mais pontos quem conseguisse pender o prato do acessório para o seu lado. Cada partida teve três minutos de duração. Os quinze segundos iniciais serviam para o modo autônomo do robô. Nos trinta segundos finais de partida, os robôs de cada aliança podiam escalar e se erguer sozinho, atribuindo mais pontos para sua aliança.

Na primeira regional, disputada entre os dias 22 e 24 de março, o time gaúcho conquistou o 8º lugar na competição entre 65 participantes, tendo sido o único representante de fora dos Estados Unidos a disputar a regional na cidade de Sacramento.

- Gostei muito da integração e da oportunidade de estar na operação. Foi minha primeira vez no torneio – comentou a operadora Catarina Ferraz Maulaz, de 13 anos.

No último final de semana, os jogos foram em San José, no Vale do Silício. Durante a fase classificatória, o time conquistou a 4ª posição na classificação geral entre 60 participantes. Um dos destaques durante toda a competição foi a integração com os outros times e o quanto os brasileiros foram bem recebidos pelos outros competidores.

- A experiência que mais nos tocou foi o espírito esportivo de todos. O trabalho em equipe impressionou porque todos atuaram com o mesmo objetivo e dando o seu melhor, não importando o resultado. Também vimos gestos muito legais de outros competidores dispostos a trocar experiências e a ajudar no que fosse preciso, mesmo estando competindo contra nós – comentou o piloto do robô, Giancarlo Bonim.

A mesma sensação foi trazida por Diego Prestes Graudenz, 15 anos, que atuou como técnico.

- Os times são muito unidos. Todos se ajudam e não há aquele clima de inimizade, pelo contrário, há um espírito de união. Fomos muito bem nas duas regionais e saímos muito satisfeitos – disse.

Além do aprendizado em quadra, a turma visitou importantes centros tecnológicos da região, entre eles a sede do Google. Esta foi a 19ª participação do Colégio Província de São Pedro na competição. A escola tornou-se referência para que outras instituições investissem na robótica como parte da formação escolar e qualificação dos jovens para o futuro profissional. O Província já se sagrou campeão em quatro oportunidades: 2001, 2002, 2010 e 2013.

Fonte: PlayPress ...




Edição n° 178 - Março 2018

Selecionar Edição
  • Edição n° 180
  • Edição n° 179
  • Edição n° 178





  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821