Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 18 de Julho de 2019. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
29533014


Edicão n° 193 de Julho 2019


ARTIGO

A hora do amanhã


Dizemos desde a campanha eleitoral: o Rio Grande do Sul precisa de um projeto de
privatização organizado, coerente, capaz de produzir resultados que se projetem no
tempo e impactem a vida de todos. Não se trata de vender empresas e ativos apenas
para reduzir o peso da máquina pública. Com persistência, defendemos uma
privatização planejada, que sinalize novas perspectivas e leve à retomada da nossa
energia para investir.

Estamos às vésperas da votação das autorizações para a privatização da CEEE, da
Companhia Riograndense de Mineração (CRM) e da Sulgás. No passado, o Estado
cumpriu o seu papel ao criar essas companhias, mas a história nos cobra o ingresso em
uma nova era. Elas perderam a capacidade de expansão e de atender às demandas dos
cidadãos, tornando-se um obstáculo ao progresso e à geração de riqueza.

O que os deputados irão votar, com responsabilidade e autonomia, é uma porta que
queremos abrir para o futuro. Se o governo anterior cumpriu um papel importante na
condução do tema, ao iniciar a discussão sobre a necessidade de venda das empresas
diante do agravamento do quadro fiscal, ao nosso caberá concretizar as operações
fundamentais para o reencontro do equilíbrio financeiro.

O dinheiro da venda também irá cumprir um destino anunciado desde o início da nossa
gestão: será usado para quitar dívidas provocadas por despesas não honradas no
passado. Nenhum centavo será aplicado em gastos de custeio, aqueles do dia a dia da
administração. Estamos sendo transparentes e faremos o que determina a legislação,
inclusive as regras de adesão ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF). Não há margem
para malabarismos, manobras e discursos vazios.

As dívidas são uma bola de ferro que limita a nossa mobilidade. Precisamos, sim, vender
patrimônio para recuperar a capacidade de investir naquilo que realmente impacta a
vida dos gaúchos: mais e melhores serviços de saúde, educação, estradas e segurança.
Com a adesão ao RRF e o pagamento das dívidas, o Estado resolve o passado, e essas
ações, somadas a outras medidas de reestruturação que serão encaminhadas nos
próximos meses, nos colocam em um ciclo promissor para o futuro.

Eduardo Leite*
*Governador do Estado do RS ...

É só o começo do reencontro com a orla


Os porto-alegrenses têm motivos para comemorar. Com responsabilidade, a Prefeitura aposta
na modernização como a melhor forma de atender aos interesses públicos. Desde o início, foi
nosso compromisso de campanha investir em parcerias público-privadas e concessões para
fazer mais sem utilizar os escassos recursos públicos.

A revitalização da Orla Moacyr Scliar, inaugurada há um ano, devolveu aos habitantes da
nossa Capital a relação com um dos seus patrimônios mais preciosos: o Guaíba. Já
entregamos o trecho entre a Usina do Gasômetro e a Rótula das Cuias, espaço que oferece
contemplação da natureza, prática esportiva e qualidade de vida. Sua reabertura é apenas o
ponto de partida de um projeto que resgata a autoestima dos moradores e os reaproxima de
um local onde a cidade nasceu, há 247 anos.

De olho no futuro, nossa gestão promoveu o reencontro dos cidadãos com o lago Guaíba.
Criou pontos de circulação seguros e iluminados, o que permitiu o retorno das famílias às
rodas de chimarrão e passeios à noite. Atualmente, mais de 60 mil pessoas visitam o local nos
fins de semana. A modernização da orla é um testemunho do crescimento econômico da
Capital.

Este ano, iniciam-se as obras do trecho 3, na área da foz do Arroio Dilúvio, na avenida
Ipiranga, até o início do Parque Gigante. O projeto contempla mais quadras esportivas,
vestiários e a maior pista de skate da América Latina. Prevê estacionamento, estruturas de
bares similares às que funcionam no trecho 1 e mais áreas para atividades culturais.

Ainda em 2019, a Usina do Gasômetro será remodelada. Nos próximos dias, o edital deve
estar concluído para licitar a remodelação, com previsão de entrega até a metade de 2020.
Também há estudos em andamento para viabilizar o trecho 2 da orla, nas imediações do
Anfiteatro Pôr do Sol, e para a concessão à iniciativa privada do Parque Maurício Sirotsky
Sobrinho (Parque da Harmonia), de forma a mantê-lo ativo o ano todo. Por fim, a valorizada
Orla de Ipanema, na Zona Sul, deve ganhar cara nova com melhorias no calçadão.

Viemos até aqui juntos. E, com amor pela cidade, continuaremos a utilizar a criatividade e a
inovação como forma de superar os limites do dinheiro público.

Nelson Marchezan Júnior
Prefeito de Porto Alegre ...

Parcerias, concessões e o futuro do Rio Grande


O Rio Grande do Sul cumpriu uma etapa importante para estimular o seu
desenvolvimento por meio de investimentos privados. Recentemente, finalizamos três
exitosas audiências públicas sobre o futuro da Estação Rodoviária de Porto Alegre e de
duas importantes rodovias: a ERS-324 e RSC-287.

Foi uma clara demonstração de transparência e diálogo com diversas regiões.
Recebemos mais de 400 sugestões da população sobre os temas.

As parcerias com o setor privado são bem-vindas, pois viabilizam investimentos com
agilidade, sem as amarras e a burocracia do poder público. Além disso, permitem que o
Estado atue com efetividade em setores que necessitam de mais atenção.

Para se ter uma ideia do salto de qualidade esperado, a ERS-324 recebeu dos cofres
públicos R$ 84,5 milhões nos últimos cinco anos. Com a concessão, os valores chegarão
a R$ 293 milhões no mesmo período – número quase quatro vezes maior. Serão
duplicados 115 quilômetros entre Passo Fundo e Nova Prata – passando por Marau e
Casca.

Na RSC-287, o aporte também será expressivo. Foram alocados R$ 195 milhões de 2014
a 2018 e a perspectiva é ultrapassar os R$ 477 milhões por meio da iniciativa privada. O
trecho a ser duplicado é de 204 quilômetros entre Tabaí e Santa Maria. Em ambas as
rodovias, a concessão resultará em R$ 3,3 bilhões investidos durante 30 anos.

A Rodoviária de Porto Alegre receberá R$ 77 milhões e será totalmente revitalizada com
melhorias que vão desde climatização até elevadores, escadas rolantes e qualificação
dos espaços comerciais. A gestão será da iniciativa privada por 25 anos.

A partir de agora, será elaborado um documento que compõe os editais para
encaminhá-lo a órgãos reguladores. A estimativa é publicá-los até o fim do ano para que
as obras iniciem em 2020.

Criatividade, inovação e muito trabalho são fundamentais para melhorarmos a qualidade
dos serviços públicos prestados às nossas comunidades e garantirmos o bem-estar de
todos os gaúchos.


Juvir Costella *

*Secretário de Logística e Transportes ... ...




Edição n° 193 - Julho 2019

Selecionar Edição
  • Edição n° 193
  • Edição n° 192
  • Edição n° 191







  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821