Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 17 de Agosto de 2018. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
24801481


Edicão n° 182 de Agosto 2018


ARTIGO

Dinheiro é apenas o Resultado


Observamos diariamente pessoas desejando o sucesso financeiro mas, afinal, qual a
fórmula mágica de ganhar dinheiro? O sucesso deixa rastros. Se estudarmos a trajetória
das pessoas bem-sucedidas veremos que só existe uma forma verdadeira e duradoura
que é trazendo alguma solução para resolver ou preencher alguma lacuna da sociedade.
Lembre-se que todo e qualquer serviço e ou produto pode ser aprimorado e melhorado.
Todos estão livres para se destacarem e serem os melhores em suas profissões, seja ela
qual for. Dinheiro é apenas o meio. O importante é o que você vai dar em troca para
obtê-lo?

Seguimos com um exemplo simples e didático. Quantos computadores no mundo
possuem o Windows como sistema operacional? Milhares, logo temos o Bill Gates,
fundador da Microsoft, como um dos homens mais ricos do planeta. Como conseguiu?
Ajudando milhares de pessoas com seus softwares. Como chegar lá? Em primeiro lugar
você precisa conhecer-se e saber claramente o que te faz brilhar os olhos, com o que
você trabalharia até de graça? Aonde você atingiria seu melhor potencial? É preciso ter a
completa noção disso entendendo que você só vai atingir o verdadeiro sucesso a
verdadeira felicidade e paz interior trabalhando com o que te completa. Se não sabe o
que te realiza, então, busque ajuda, faça um teste vocacional, procure auto-
conhecimento, tenha atitude. Não espere que sua vocação venha até você. Mexa-se.
Uma dica para quem ainda não encontrou seu caminho é repetir várias vezes antes de
dormir a seguinte frase: inteligência Infinita conceda-me a graça de mostrar-me
melhores formas de servir.

Bem você já sabe o que te faz brilhar os olhos, então vá a fundo. Torne-se perito nisso.
Estude uma, duas, três horas por dia, não busque desculpas. Pague o preço para ser o
melhor, seja o primeiro a chegar e o último a sair do seu trabalho. Seja diferente da
multidão, não bote sua vida fora com distrações que não te levam a lugar nenhum.

Vivemos na era da informação, pode-se encontrar tudo na internet, basta ter vontade,
leia, estude, treine. Compre livros usados, busque bolsa de estudo, vá a biblioteca
pública, se preciso for trabalhe de graça para apreender o que gosta, tenha garra,
vontade e determinação. Lembre-se quando você se esforça verdadeiramente o universo
conspira a seu favor e coisas maravilhosas acontecem. Quando você atinge perícia em
algo que ama fazer pode ter certeza que o resultado financeiro virá de forma natural e
abundante.

Eduardo Volpato *
*Coach ...

Coluna da OAB/RS


OAB/RS lançou a Campanha Vote Consciente

A união pela cidadania, pela busca de informação e, sobretudo, pela mudança do cenário
político em que o país se encontra estagnado. Foram essas as vozes que reverberaram
no auditório lotado do Theatro São Pedro, durante o lançamento da campanha Vote
Consciente, no dia, 8 de agosto. Com 106 Subseções e participação ativa de advogados
de diferentes regiões, a Ordem gaúcha quer fazer chegar a milhões de gaúchos a
mensagem sobre a importância de eleger representantes compromissados com a
população. O presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, aponta que esse é um
movimento nacional, capitaneado pelas 27 seccionais. “É pelo poder do voto que vamos
realizar a verdadeira reforma política. O voto não tem preço, tem consequência”, frisou.
O presidente da OAB/RS, Ricardo Breier, ressalta: “Temos de atingir todos. Atingir a
cidadania que está nos grandes centros, mas também aqueles que sofrem a ausência do
sonhado direito fundamental. ”

Dia do Advogado e Sessão Magna

Os feitos dos advogados para garantir o direito dos cidadãos são muitos, e a OAB/RS
homenageou, na sua Sessão Magna, a história desses profissionais. O evento ocorreu na
última quinta feira (10) no Teatro do Bourbon Country. Na cerimônia, foram jubilados 41
advogados com mais de 30 anos de profissão e/ou com mais de 70 anos de idade. Além
disso, a comenda Oswaldo Vergara foi entregue a 24 advogados e advogadas que, por
seu trabalho, dignificam a classe. 40 novos advogados também receberam, na
solenidade, suas carteiras da Ordem em Prestação de Compromisso. In Memoriam, o ex-
conselheiro seccional, Getulio Pereira Santos, foi o homenageado como Advogado
Emérito. No sábado, dia 11, o Dia do Advogado foi comemorado com a banda Skank, no
Pepsi On Stage, com a presença de centenas de advogados (as) do Estado.

Mês da Advocacia intensa

O Mês da Advocacia está sendo intenso e festivo, com uma grande programação
organizada pela Ordem gaúcha. “A cada ano, buscamos realizar atividades em sintonia
com as demandas da advocacia. Ao mesmo tempo, aproveitamos este período para
celebrar e reforçar a importância do trabalho das advogadas e dos advogados gaúchos”,
destaca o presidente da OAB/RS, Ricardo Breier. Todos os cursos e palestras são
gratuitos. Veja toda a programação: http://www.oabrs.org.br/mes-advogado

Curso capacitará profissionais para a escrita de artigos científicos

A Escola Superior de Advocacia da OAB/RS (ESA/RS) realizará, no próximo dia 16/08, o
curso Metodologia da Pesquisa Científica. O evento ocorrerá às 19h no OAB/RS Cubo
(Rua Manoelito de Ornellas, nº 55 – Praia de Belas), em Porto Alegre. O curso será
presencial, o investimento é de 1kg de alimento não perecível, e é necessário fazer a
inscrição no Portal do Aluno da ESA/RS: http://portaldoaluno.oabrs.org.br . A
palestrante do curso será a advogada e Doutoranda pela PUC/RS, Cíntia Guimarães.
Haverá certificado de 1h/a.

Comunicação Social da OAB/RS ...

O avanço da biometria em condomínios


Para tentar driblar as tentativas de assalto a condomínios e reforçar a segurança,
algumas tecnologias que antes eram usadas somente em empreendimentos comerciais
começaram a se popularizar nos residenciais, como o controle biométrico. Essa
tecnologia se mostrou mais eficiente, pois, além da segurança, agilizou a entrada e a
saída dos moradores dos condomínios.

O controle de acesso biométrico demanda um estudo prévio e simples do condomínio
para definir quantos equipamentos serão necessários para dar o suporte ao local.
Quando falamos em portaria remota, que utiliza da biometria ela é "salva" dentro de um
sistema central, que permite o registro dos acessos de qualquer pessoa que tenha
entrado ou saído do prédio, inclusive os horários que isso ocorreu. Para o síndico é um
facilitador também na hora de verificar a entrada e a saída dos funcionários do
condomínio e dos prestadores de serviço dos apartamentos ou casas.

A praticidade e a conveniência da biometria fazem dela um item necessário em qualquer
moradia que preze pela segurança nos dias atuais. Quando chega um visitante, ele se
identifica e é autorizado a subir pelo morador ou porteiro, que podem ser facilmente
enganados por assaltantes disfarçados; ou seja, qualquer um pode se passar por uma
pessoa. Para se ter uma ideia da eficácia da biometria, podemos analisar alguns dados
pela minha própria experiência na carreira.

Cerca de 95% dos acessos ao condomínio são realizados eletronicamente, o que diminui
em 22 vezes a probabilidade de a portaria ser enganada por alguém mal-intencionado. É
o mesmo sistema que funciona nos bancos quando para fazer alguma transação ou
saque e é necessária sua biometria; ou seja, somente você pode realizar o
procedimento. Não é à toa que os bancos passaram a utilizar essa tecnologia, já que
minimiza os riscos e as chances de erros humanos.

A portaria remota — e a biometria, por consequência — também acaba por provocar
uma redução dos custos com questões de segurança, pois o sistema integrado dela,
alarmes, câmeras e outros dispositivos, permitem que em qualquer ocorrência de
problemas em equipamentos sejam resolvidos rapidamente, sem a necessidade de
contratar empresas terceirizadas; além, é claro, da manutenção mais em conta por
estarem dentro de um mesmo plano de contrato. Enfim, é necessário conhecer e saber
usar as tecnologias a nosso favor, minimizando falhas e sempre pensando na segurança
em primeiro lugar.

Artigo de:

Walter Uvo, especialista em tecnologia de segurança de condomínios da
MinhaPortaria.com ...

Aposentadoria não é fator impeditivo para reintegração de função trabalhista


Apesar de em alguns pontos ser dificultoso entrar com uma ação judicial, quando
alcançado o objetivo, analisamos a necessidade de reivindicar direitos e entendimentos
que possam nos fortalecer. É o caso do processo trabalhista de uma colaboradora
portadora de necessidade especiais (PNE) e cliente do Martins Lacerda & Cabeleira
Advogados Associados.

Foi apresentada Reclamação Trabalhista no fórum trabalhista da Barra Funda, pleiteando
a sua reintegração da ex-funcionária, tendo em vista, ser portadora de necessidades
especiais (PNE). Também, fazia parte da ação o pleito pelo pagamento de horas
extraordinárias (7ª e 8ª diária), adicional de periculosidade, entre outros.

O maior obstáculo dos advogados nesse caso foi batalhar para reformar a sentença, que
afastou o direito de reintegração da Reclamante devido a aposentadoria.

Além disso, dentro da lei que destina vagas para funcionários portadores de necessidade
especiais, uma porcentagem é destinada e deve ser preenchida de acordo com o porte
da empresa. Neste caso, não só a cliente havia sido demitida como também nenhum
PNE foi contratado para preenchimento da vaga.

"A sentença entendeu que teríamos direito a manutenção do contrato de trabalho, até
que a empresa comprove o cumprimento dos requisitos legais, entretanto, limitou os
efeitos da reintegração a aposentadoria, ou seja, discorreu que a cliente de fato teria
direito a reintegração, porém esse direito se perderia caso ela já tivesse se aposentado",
informa a advogada Maria Julia Lacerda Servo.

O recurso direcionado ao Tribunal Regional do Trabalho, visava excluir essa limitação. O
fato de estar aposentada não pode afastar o direito de ser reintegrada como funcionária.
E esse foi o ponto principal determinante que não só ajudou, mas fez com a causa
revertida em favor da cliente.

Para a advogada Maria Julia, este é um caso de sucesso que deve ser levado em
consideração e que ressalta a importância de sua atuação. "A reforma da decisão foi
relevante, porque conseguimos afastar a aposentadoria como fator impeditivo da
reintegração. Além disso, foi obtido êxito para determinar que a ex-funcionário laborou
em local periculoso e, portanto, fazia jus ao adicional legal" finaliza.

Maria Julia Lacerda Servo é graduada em direito pela Faculdade de Direito de Curitiba,
pós-graduada em direito civil e processo civil pela Faculdade de Direito Damásio de
Jesus e em Direito e Processo do Trabalho e pela Pontifícia Universidade Católica de São
Paulo – PUC-SP. Aluna especial do mestrado em direito do trabalho da Universidade de
São Paulo – USP. Também é membro da Associação dos Advogados Trabalhistas de São
Paulo, AATSP. Para mais informações, acesse http://www.facebook.com/mcladvogados/
pu http://mclsadvogados.com.br/ ...

Nota de Repúdio : Sociedade Brasileira de Dermatologia - Secção RS


A Sociedade Brasileira de Dermatologia Secção RS vem a público manifestar o
descontentamento com a conduta levada a efeito pela Magª Reitoria da Universidade
Federal do Rio Grande do Sul no âmbito da realização do assim denominado “I Curso de
Estética da UFRGS”, destinado a não-médicos. Além de inusitado ao prestígio e a qualidade
técnico-científico-acadêmica que historicamente identificam a Universidade em seus mais
de 120 anos de existência, causa estranheza a ausência da sequer análise e manifestação
quanto ao pedido formalizado pela SBD/RS para o imediato cancelamento do curso.

A SBD-RS entende que a realização do curso pode representar disseminação de
conhecimento médico de forma inadequada, contribuindo com a preocupante e crescente
atuação de não especialistas na área e com o aumento público e notório de complicações
graves de procedimentos estéticos invasivos realizados por não médicos ou médicos não
especialistas em Dermatologia ou Cirurgia Plástica. A SBD-RS considera que a saúde é o
bem maior do indivíduo e, portanto, não medirá esforços na proteção à população.

Diretoria SBD-RS

Presidente da SBD-RS, Clarissa Prati

...

Coluna da OAB/RS


OAB/RS lança Campanha Vote Consciente

Em razão das eleições de 7 de outubro para presidente, governador, senadores,
deputado estadual e deputado federal, a OAB/RS preparou uma campanha de
engajamento da sociedade gaúcha: Vote Consciente. Seu lançamento será no dia 8 de
agosto (quarta-feira) no Theatro São Pedro, em Porto Alegre, às 20h. Com 106
Subseções e participação ativa de advogados de diferentes regiões, a Ordem gaúcha
quer fazer chegar a milhões de gaúchos a mensagem sobre a importância de eleger
representantes compromissados com a população. O presidente nacional da OAB,
Claudio Lamachia, aponta que esse é um movimento nacional, capitaneado pelas 27
seccionais. “É pelo poder do voto que vamos realizar a verdadeira reforma política. O
voto não tem preço, tem consequência”, explica. O presidente da OAB/RS, Ricardo
Breier, pontua: “Acreditamos na democracia e precisamos conscientizar cada vez mais os
eleitores sobre a responsabilidade do voto.”

Mês da Advocacia: conferências, debates, homenagens e show

O Mês da Advocacia, em comemoração do Dia do Advogado – 11 de agosto –, já
começou com uma grande programação organizada pela Ordem gaúcha. “A cada ano,
buscamos realizar atividades em sintonia com as demandas da advocacia. Ao mesmo
tempo, aproveitamos este período para celebrar e reforçar a importância do trabalho das
advogadas e dos advogados gaúchos”, destaca o presidente da OAB/RS, Ricardo Breier.
A Sessão Magna Alusiva ao Dia da Advocacia será realizada no dia 9 de agosto, no
Teatro do Bourbon Country, em Porto Alegre, a partir das 17h30. E no dia 11 de agosto,
o Pepsi on Stage trará o show da banda mineira Skank para toda a advocacia. A
abertura do local será às 20h30, e ele está programado para começar às 22 horas. Veja
toda a programação: http://www.oabrs.org.br/mes-advogado

Curso gratuito: Advocacia Sistêmica e Constelações Familiares

A Escola Superior de Advocacia da OAB/RS (ESA/RS) realizará, no próximo dia 15/08, o
curso Advocacia Sistêmica e Constelações Familiares – Um novo olhar para o Judiciário.
O evento ocorrerá às 19h no OAB/RS Cubo (Rua Manoelito de Ornellas, nº 55 – Praia de
Belas), em Porto Alegre. As inscrições são gratuitas, e deverão ser realizadas no
http://portaldoaluno.oabrs.org.br . A palestrante do curso será a advogada trabalhista e
consteladora familiar, Aline Brocardo de Lima. Haverá certificado de 3h/a.

Livraria Virtual da CAA/RS

A Livraria Virtual da Caixa dos Advogados do RS (CAA/RS) já está à disposição para
consultas e compras, oferecendo promoções e descontos exclusivos para os profissionais
do Direito no endereço www.livrariacaars.com.br. O lançamento da livraria foi realizado
durante a VIII Conferência Estadual da Advocacia, ela é fruto da iniciativa proposta em
2016 em uma reunião na CONCAD Sul e foi concretizada pela união de esforços e
empenho das Caixas dos Estados do RS, SC e PR. Organizada em mais de 25 áreas
específicas do Direito e também com obras de temas diversos no seu extenso acervo, a
livraria virtual tem o objetivo de ofertar à classe a busca e aquisição de livros de forma
rápida e segura em um único local.


Comunicação Social da OAB/RS ...

Alfabetização e ideologia


Pois, o embate entre as famílias que desejam uma educação de qualidade e os
educadores-pedagogos ideológicamente identificados chegou ao Supremo Tribunal
Federal – STF.
A nossa Constituição Federal, em seu art. 205, dispõe que: “ A educação, direito de
todos e dever do Estado e da família, ...”, portanto, está evidente que há uma
responsabilidade compartilhada entre o Estado e a instituição família.
O que existe no fundo deste embate que chegou ao STF é uma questão ideológica,
pouco visível para a grande maioria, inclusive dos educadores. Vejamos o que está
posto na Constituição Federal art. 206- O ensino será ministrado com base nos
seguintes princípios: inciso III... “pluralismo de ideias e concepções pedagógicas...”
Na questão da alfabetização, na grande maioria das escolas, particularmente as
públicas, há uma concepção única de como a alfabetização deve ser realizada e tendo
por base orientações de Emília Ferreiro, Ana Teberoswski, Vigorski, Paulo Freire, através
da qual se concretiza a “educação libertadora” se faz a “leitura crítica da sociedade”, os
educadores não ensinam “mas aprendem com as descobertas dos alunos” e qual é o
resultado desta linha pedagógica/ideológica? Um país de analfabetos funcionais e por
décadas estamos nos últimos lugares no mundo.
Houve uma clara ação ideológica que chegou ao ano de 1980 e implantou uma
profunda mudança em nossa LDB, através dos Planos Curriculares Nacionais -PCNs, em
que foram abolidas as cartilhas, pois a modernidade tinha chegado: o
CONSTRUTIVISMO.
Ideólogos visualizaram a possibibildade de trabalhar ideologia na BASE DA
EDUCAÇÃO, ou seja, já na alfabetização e é o que está vigorando até hoje na maioria
das escolas do Brasil.
As Faculdades de Pedagogia e as Escolas Normais se transformaram em centros de
ideologia e o pluralismo de ideias não existe.
O processo que está para ser julgado no STF no fim do mês de julho 2018,
objetivamente, visa decidir se as famílias podem dar a seus filhos uma educação de
qualidade em casa ou serem obrigadas a levar seus filhos para as salas de aula e
receberem diariamente aulas de uma única ideologia. Esta desgraça na alfabetização
continua através da Base Nacional Comum Curricular. É triste, mas é a realidade que
vivemos.


Agenor Basso – 54. 34.19.47.08 - 96.08.3279 RG 70.30.32.85.91
Alfabetizador e ex-Secretário Municipal da Educação
Rua Ercília Sgorla Luza, 209
Bairro Santa Catarina
995.030-775 Caxias do Sul RS

...

Trump na contramão da ciência


A decisão anunciada pelos Estados Unidos de alterar uma resolução da Organização
Mundial de Saúde (OMS) sobre defesa e promoção do aleitamento materno trouxe muita
preocupação. A medida é um atentado ao bom senso e estímulo a amamentação.
Inúmeros estudos compravam os benefícios para a saúde do bebê e, no estágio atual, a
medida seria um imenso retrocesso diante dos muitos anos de estudos que mostraram
as enormes vantagens que o leite materno proporciona. Ao invés disso, acreditamos que
é preciso incentivar o aumento da licença-maternidade e licença-paternidade, bem como
promover ações que permitam o aumento no número de locais públicos de
amamentação.

O tema veio à tona após reunião da Assembleia Mundial da Saúde, promovida pela OMS.
Na ocasião, representantes dos Estados Unidos tentaram retirar um item de uma
resolução que prevê que os países devem proteger e promover a amamentação. O texto
recomenda ainda que os governos coíbam propaganda e campanhas para uso de
fórmulas industrializadas em substituição ao leite materno. De acordo com reportagem
do jornal The New York Times, a investida seria a favor dos fabricantes de fórmulas
infantis. Apesar da ação, os EUA não conseguiram eliminar o trecho do texto final. A
recomendação da Organização da Saúde, órgão das Nações Unidas, se baseou em
estudos de décadas que comprovaram que o leite materno é o alimento mais saudável
para as crianças.

A maioria das mulheres têm condições de produzir o leite para o seu bebê. Estudos
recentes mostram que há efeitos a médio e longo prazo. O leite materno previne
situações agudas como infecções respiratórias e gastrointestinais. Já existem estudos
que mostram uma ação preventiva ao colesterol alto e à obesidade infantil. Não bastasse
isso, inúmeras pesquisas mostram benefícios psicológicos e afetivos para o bebê e para
mãe. Assim, reforçamos a resolução da OMS de que o aleitamento materno deve ser
mantido, exclusivamente, por seis meses, sem dar água ou chá aos bebês, e de forma
continuada até dois anos e meio.

Presidente da AMRIGS, Alfredo Floro Cantalice Neto

...

Trabalho autônomo, liberal ou remoto. Qual devo escolher?


Trabalhar por conta própria, fazer o seu próprio horário, ser o seu próprio chefe.
Realidade de muitas pessoas que não possuem qualquer vínculo empregatício e
trabalham por conta própria. Segundo uma pesquisa do IBGE, realizada em 2017, o
Brasil conta com 11.115 milhões de pessoas que trabalham, mas não possuem carteira
assinada e 23.198 milhões que atuam por conta própria, o que representa um total de
34,31 milhões de trabalhadores nesses formatos.

Um dos motivos desse aumento foi que muitas pessoas enxergaram uma maneira de
vencer a crise econômica e encontrar novas possibilidades de garantir um rendimento
financeiro no final do mês. Além disso, existem pessoas que adotam esse tipo de
trabalho pensando no ganho de qualidade de vida.

Ser um trabalhador autônomo, liberal ou remoto possui suas vantagens e desvantagens,
mas saber suas características é essencial para que você consiga as melhores
oportunidades e tire todo o proveito do serviço que você está oferecendo.

Profissional autônomo

O profissional autônomo é aquela pessoa que trabalha por conta própria, que tenha ou
não uma formação ou qualificação profissional. Trabalhadores autônomos têm uma
independência maior e conseguem executar diversos tipos de tarefas. Entre eles estão
pintores, encanadores, pedreiros e outros.

Profissional liberal

Já o profissional liberal é a pessoa que conta com formação universitária ou técnica e
tem liberdade para executar a sua atividade de maneira independente, podendo ser
empregado ou trabalhar por conta própria. Podemos colocar como exemplos médicos,
advogados, arquitetos e dentistas.

Trabalho Remoto

Trabalho remoto é, como o próprio nome diz, qualquer atividade que pode ser realizada
à distância, facilitada pelo uso de tecnologia e de comunicação. Por esse motivo é
também chamado de teletrabalho. Existem diferentes concepções deste termo e outros
similares como: trabalho à distância, como dito acima, e home office. É um formato que
tem recebido cada vez mais adeptos e que está sendo adotada por diversas empresas.

Ao optar pelo home office é necessário ter um ambiente dentro de sua casa totalmente
dedicado para suas atividades, isso traz mais concentração e faz com que se mantenha
o foco na tarefa que está sendo executada. Também é preciso ficar atento com a carga
horária, já que muitas empresas estendem suas atividades além dos horários
tradicionais.

Dependendo do fluxo de trabalho do profissional autônomo ou liberal é possível ganhar
mais dinheiro do que quem é contratado por empresas no formato tradicional. O
caminho pode ser bastante recompensador, mas também é preciso tomar alguns
cuidados como ter disciplina com horário, foco e organização para que você consiga
entregar o seu trabalho com qualidade e dentro do prazo. Além disso, o trabalhador
deve se programar para os meses com menos oportunidades, e, sempre manter uma
reserva de recursos para os casos de imprevisto ou de acidente de trabalho. Essas são
algumas formas de se evitar dificuldades financeira.

Com as características de cada tipo de trabalho apontado, escolher a que melhor se
encaixa será mais fácil para começar a trilhar o seu próprio sucesso. Boa sorte!

Sebastián Siseles *
* Diretor Internacional do Freelancer.com, responsável pela expansão global do site.
Formado em Direito pela Universidad de Buenos Aires, e em Marketing, com MBA pela
University of Pittsburgh. Especialista em finanças corporativas e práticas gerais de
negócios, o executivo também fundou várias empresas de comunicação e Internet.

...

Código de ética em pauta


Em tempos de corrupção e eleições, a ética nunca esteve tão em pauta, seja na boca do
povo, na mídia e, principalmente, nas organizações brasileiras. Instrumento fundamental
para orientar colaboradores, terceiros e parceiros sobre como a empresa conduz os
negócios, o código de ética é um dos elementos mais presentes nas organizações
brasileiras, cerca de 71%, de acordo com a pesquisa sobre **Nível de Maturidade de
Compliance 2018, produzida pela Protiviti Brasil. Embora aparentemente simples, o
material requer a correta compreensão da cultura ética da companhia, talvez, por isso,
ainda existam muitas que não adotaram à prática.

Qual o comportamento esperado dos seus colaboradores? E dos terceiros e
fornecedores? Antes de tudo, uma organização precisa informar o que espera de quem
trabalha para ela, em suas instalações e/ou em seu nome. Ou seja, o código de ética
deve ajudar na orientação de dilemas éticos e explicar quais são os comportamentos
aceitáveis ou não pela empresa em todos os diferentes níveis de relacionamento.
Funciona como um balizador corporativo, que reúne situações de conflito de interesse,
como recebimento e entrega de brindes, presentes e hospitalidade, realização de
doações e patrocínios, contratação de profissionais e de fornecedores, entre outros.

Mas, engana-se quem pensa que a elaboração do material é uma tarefa simples ou
quem o faz apenas para cumprimento de requisitos legais. Considerando que é preciso
conhecer a fundo as regras de negócio e, principalmente, o que realmente será seguido
ou não, redigir o documento é muito mais um exercício de gestão da cultura
organizacional do que uma ação legal ou normativa da organização.

Por isso, é importante seguir três etapas. São elas: (i) Compreensão da cultura ética,
uma vez que quando se entende os principais documentos normativos da empresa,
alinha-se expectativas, pontos de discussão e abordagem com a alta administração; (ii)
Construção do código em si; (iii) Validação pela alta gestão e legal, se necessária.

Primeiramente, é preciso criar regras e diretrizes que orientam as condutas, por meio de
uma linguagem clara, concisa e acessível a todos os stakeholders, sejam eles internos
ou externos, respeitando cada perfil. Nesse sentido, é importante que se escreva
somente aquilo que poderá ser cumprido. Afinal, um código de ética muito exigente ou
em desacordo com a cultura organizacional dificilmente será bem aceito e praticado
pelos colaboradores.

Leve em consideração a realidade, a cultura e os valores da empresa e garanta que a
elaboração do conteúdo será feita de forma coletiva e baseada em princípios. É
interessante buscar inspirações em códigos de outras companhias, mas não caia no
equívoco de fazer cópias. Como diz o velho ditado, nem tudo que é bom para um será
para o outro. De fato, a adequação à realidade e à cultura da organização é um desafio,
mas totalmente passível de ser cumprido com eficiência.

Durante a elaboração, independentemente do porte da organização, é preciso estar
atento a quatro pontos principais: (i) Princípios éticos (como a não discriminação,
cumprimento da legislação e repúdio a mão de obra escrava e infantil); (ii) Princípios de
conduta (sobre, por exemplo, mídias sociais, conflito de interesse, recursos e ativos,
confidencialidade e propriedade intelectual); (iii) Relacionamentos (com colaboradores,
clientes, fornecedores, investidores e acionistas, setor público, sindicatos, mídia etc);
(iiii) Ações institucionais (como doações e patrocínios, meio ambiente, responsabilidade
social e prevenção à lavagem de dinheiro).

O código deve trazer diretrizes gerais e as especificidades devem ser tratadas em
políticas específicas, como as de Compliance, Anticorrupção, Compras e Pagamentos, e
aquelas que mitiguem os riscos críticos já levantados. As normas devem ser revisadas e
compartilhadas periodicamente, de modo a contemplar as mudanças da empresa e do
ambiente no qual ela está inserida.

Também é fundamental dar conhecimento aos colaboradores, terceiros, fornecedores,
parceiros e outros públicos relevantes, bem como disponibilizar canais para sanar as
dúvidas e/ou relatar situações de não conformidade. A realidade das mídias sociais e
suas regras de uso, por exemplo, estão refletidas principalmente nos códigos elaborados
ou revisados recentemente.

Uma boa prática é complementar o material com um guia de perguntas e respostas e
situações do dia a dia da organização. Dessa forma, é possível esclarecer pontos críticos
de forma objetiva, clara e atraente, evitando a incidência de dúvidas e até mesmo
condutas irregulares. O que não faltam hoje em dia são exemplos na mídia de atos que
não devem ser praticados.

Por Jefferson Kiyohara e Yaniv Chor **

*Jefferson Kiyoharaé líder da prática de riscos & compliance da Protiviti, em São Paulo.

*Yaniv Chor é líder da prática de riscos & compliance da Protiviti, no Rio de Janeiro. A
Protiviti é uma consultoria global especializada em Gestão de Riscos, Auditoria Intern ...

Observe suas palavras


Sabemos que as redes sociais, aplicativos de comunicação e a própria internet em geral
trouxeram uma tremenda evolução e transformação em nossas conexões e principalmente na
forma de vermos o mundo. Isso é inegável. Porém, também não podemos negar que essas
tecnologias deram voz à milhões de estúpidos e imbecis, que antes só afetavam os que
estavam ao seu redor e, hoje em dia, conseguem espalhar mentiras, tolices e pessimismo à
milhares de pessoas, principalmente porque quem se identifica, curte e compartilha,
potencializando ainda mais essa corrente do mal.

Somando-se a isso tudo temos aqueles que nos bombardeiam, diariamente, com notícias
negativas. Sem contar nos tagarelas falando o tempo inteiro ao nosso redor palavras de
privação, reclamações, historinhas para justificar seus fracassos e muitas vezes estas pessoas
nem se tocam que são viciadas em focar sempre o lado negativo de tudo.

Na Bíblia encontramos "A palavra proferida a seu tempo é como maçãs de ouro em cestos de
prata" (Provérbios 25:11) "Palavras agradáveis são como favos de mel; doces para alma e
saúde para os ossos" (Provérbios 16:24)

Não percebemos e acabamos contagiados com isso tudo e ficando igual, reclamando,
lamentando e focando o lado ruim das circunstâncias de nossa vida.

Te pergunto: observas o que vem falando? São palavras agradáveis de ouvir? As pessoas que
te escutam ficam felizes ao te escutar? Tens mais elogiado ou criticado? Falas e pensamentos
como: “eu não consigo”, “minhas contas estão atrasadas”, “ninguém gosta de mim”, “não
tenho dinheiro”, “está tudo difícil” e “hoje meu dia foi ruim” só prejudicam aos que estão do
seu lado e a você mesmo.

Então monitore o que você diz e pensa e sempre que tentado a proferir palavras negativas
morda a língua e repita para você mesmo em silêncio: a partir deste momento tudo que eu
falar será sempre para estimular, inspirar, agradecer e fortalecer a todos que estão a minha
volta e sobretudo a mim mesmo.

Eduardo Volpato Coach ...




Edição n° 182 - Agosto 2018

Selecionar Edição
  • Edição n° 182
  • Edição n° 181
  • Edição n° 180







  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821