Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 23 de Junho de 2018. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
21835162


Edicão n° 178 de Março 2018


ARTIGO

Coluna da OAB/RS


V Colégio de Presidentes em Caxias do Sul traz novidades importantes para advocacia gaúcha

O V Colégio de Presidente das Subseções da OAB/RS ocorreu entre os dias 26 e 27 de abril na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul. Durante o encontro, foram deliberadas diversas pautas importantes para a advocacia e para a cidadania, entre elas o INSS Digital, que estará disponível a partir desta semana no site da OAB/RS. Outro ponto importante foi o anúncio de que, no dia 10 de maio, será inaugurado o espaço OAB/RS Cubo, que a advocacia gaúcha usará para se qualificar e buscar capacitação sobre diferentes temas contemporâneos da área do direito. No espaço, funcionará a Escola Superior de Advocacia (ESA/RS), e ele ficará no espaço Trend Center (Rua Manoelito de Ornelas, 55, Porto Alegre).

Portal do Processo Eletrônico já pode ser acessado com login e senha

Mais um pleito da OAB/RS foi atendido. O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul apresentou a possibilidade de assinatura de documentos sem o uso de certificação digital no Portal do Processo Eletrônico, assim como a definição do cronograma de implantação dessa funcionalidade. Desde a última quinta-feira (26 de abril), está em funcionamento, no Portal, o acesso com login e senha, e essa medida é de extrema importância para a advocacia, pois flexibiliza a obrigatoriedade de documentos através de uma certificação digital. O ato anuncia a chegada do eproc na Justiça estadual, sistema que terá dinâmica semelhante no acesso e no peticionamento.

Advogados de Panambi ganham novas estruturas na subseção

A subseção de Panambi está com uma nova estrutura modernizada e ampliada para receber a advocacia da região com mais qualidade. O evento de inauguração ocorreu no dia 23 de abril. A melhoria nas estruturas garante uma prestação de serviço mais qualificada, além de todo os equipamentos necessários para a advocacia conseguir exercer a profissão. A modernização, ampliação, as reformas e melhorias em tecnologia. Entre os principais investimentos, até agora, a OAB/RS também finalizou mais de 10 obras que já estavam em andamento antes da atual gestão 2016/2018.

OAB/RS realizou desagravo público no Foro de Canoas

Dezenas de advogados de Canoas e da Região Metropolitana de Porto Alegre estiveram reunidos em frente ao Foro de Canoas para o ato de desagravo público da advogada Marília Chemello Faviero Willmsen. O desagravo público, comandado pelo presidente da OAB/RS, Ricardo Breier, foi confirmado após Marília ter sofrido um tratamento indigno e constrangedor em uma audiência da 1ª Vara de Família e Sucessões, em Canoas, conduzida pela juíza Elisabete Maria Kirschke. O desagravo público é uma medida do Conselho Seccional da OAB/RS em favor de um advogado que tenha sido ofendido no exercício da profissão ou em razão dela. É um instrumento de defesa dos direitos e das prerrogativas da advocacia. A Ordem disponibiliza todo o suporte jurídico ao profissional, tanto em ação penal quanto em eventual ação cível.

Fonte: Comunicação Social da OAB/RS ...

Coluna da OAB/RS


V Colégio de Presidentes em Caxias do Sul

Honorários advocatícios, valorização da advocacia, ética profissional, defesa das prerrogativas, propaganda irregular, dificuldades de prestação jurisdicional e questões que envolvam a cidadania e o poder público serão alguns dos pontos a serem discutidos no V Colégio de Presidentes das Subseções da OAB/RS. O evento ocorrerá nesta quinta (26) e sexta-feira (27) na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias do Sul, na serra gaúcha. No encontro, estarão presentes as 106 subseções de todo o Estado, reunidas com as diretorias da seccional, da Caixa de Assistência dos Advogados (CAA/RS), da Escola Superior de Advocacia (ESA/RS) e dos conselheiros federais e seccionais. Eles discutirão pautas indicadas previamente pelos próprios presidentes das subseções.

Defesa das Prerrogativas: promotor de justiça ofende advogado

A OAB/RS aprovou, em uma Sessão Ordinária do Conselho Pleno, na sexta-feira (13), o pedido de desagravo público do advogado Rodney Guterro. Durante o exercício de sua profissão, Guterro sofreu ofensas em uma audiência na 1ª Vara do Júri de Porto Alegre por parte do promotor de Justiça Eugênio Paes Amorim. Para o presidente da OAB/RS, Ricardo Breier, calar um advogado no exercício pleno de sua função é calar a voz da cidadania: “Seremos intransigentes em defesa das nossas prerrogativas. Por isso, estamos ao lado de todo e qualquer colega que tenha sua prerrogativa violada”, ratificou. O Desagravo Público é uma medida do em favor de um advogado que tenha sido ofendido no exercício da profissão ou em razão dela. A Ordem disponibiliza todo o suporte jurídico ao profissional: Plantão 24h das Prerrogativas - (51) 98170-7556.

Sistema eproc entrará em nova etapa na Justiça Estadual

O eproc já é uma realidade para parte da advocacia gaúcha. Agora, com o sucesso e o pleno funcionamento do sistema na Comarca de Encantado, ele começa a galgar novas etapas. O próximo passo será, portanto, aplicar o eproc à matéria cível em geral, excetuando-se os processos do Juizado da Infância e Juventude (JIJ) e da Fazenda Pública. A nova etapa do eproc abrangerá as Varas de Família, Sucessões e Curatelas de Porto Alegre. As primeiras a receberem o eproc no 2º Grau serão as Câmaras que tratam de Direito de Família. Segundo o TJRS, esta estratégia permitirá, se comparada aos ingressos de 2017, que mais de 550 mil novos processos tramitem eletronicamente somente no 1º Grau. O presidente da OAB/RS, Ricardo Breier, tem acompanhado de perto a implementação do projeto. “A advocacia está satisfeita, e isso explicita a prosperidade que o sistema terá em todo o estado”, comenta.

Debate: Código Florestal e Funrural no dia 25/04

Para discutir sobre a conclusão do julgamento das Ações Diretas de Inconstitucionalidade do Código Florestal, a OAB/RS, juntamente com a Comissão de Direito Agrário e do Agronegócio, com a Comissão de Direito Ambiental e com a Escola Superior de Advocacia da OAB/RS (ESA/RS), realizará, no dia 25 de abril, o Código Florestal e Funrural. O evento será no auditório da Ordem gaúcha (Rua Washington Luiz, 1110/2º andar) às 19h. Inscrições: http://portaldoaluno.oabrs.org.br/.

Comunicação Social da OAB/RS ...

Cinto de Segurança – você usa?


De certa forma é curioso que nos tempos atuais, o uso do cinto de segurança ainda não seja uma unanimidade. Condutores e passageiros nem sempre fazem uso do dispositivo de retenção, sobretudo nas cidades e em pequenos deslocamentos. Entretanto em rodovias tem-se percebido que, por vezes, não é utilizado.
Enquanto uma parte da sociedade continuar a associar o uso do cinto de segurança com uma obrigação para escapar de multa de trânsito, esse cidadão não terá como entender o real motivo de sua utilização.
O principal motivo da obrigatoriedade do uso do cinto de segurança, é para nos protegermos em caso de colisões frontais, laterais, traseiras, capotamentos, entre outros. Quando estamos dentro de um veículo em movimento, qualquer obstáculo que faça com que haja uma mudança no movimento do veículo, isso afeta diretamente quem estiver dentro dele.
Desta forma, em um acidente, se estivermos sem o cinto de segurança, a depender do tipo de dinâmica do acidente, seremos jogados contra o para-brisas dianteiro, contras as laterais, poderemos bater contra diversas partes metálicas do veículo, seremos jogados contra os demais ocupantes, ou mesmo jogados para fora do veículo, o que acontece bastante em capotamentos e em algumas derrapagens. Lembrando que estaremos sem capacete, com possibilidade enorme de batermos a cabeça, com riscos severos de lesões permanentes ou morte.
Nas situações de acidentes, o cinto de segurança nos mantém presos e firmes no assento, evitando que tenhamos lesões graves, principalmente nos acidentes mais simples. O uso do cinto de segurança vale tanto para o condutor, quanto para os passageiros, todos eles. E se forem crianças, o cinto de segurança deve ser utilizado em conjunto com bebe conforto, cadeirinha ou assento de elevação, conforme idade.
E neste ponto eu quero fazer um alerta muito forte em relação a manter as crianças soltas no veículo em movimento. Quantas e quantas vezes nós já vimos, em serviço ou de folga, os pais ou responsáveis com cinto de segurança, e as crianças soltas no banco de trás, sem o cinto de segurança. Normalmente entre os bancos olhando a estrada, ou mesmo brincando e falando com os pais. Estas crianças estão sob o maior risco possível dentro de um veículo automotor. Numa colisão, as crianças indefesas e sem o equipamento de segurança, poderão ser projetadas e bater contra as peças metálicas do carro ou mesmo o para-brisas, ou serem projetadas para fora.
Não é uma questão de ser duro ou escrever com uma maior contundência. Mas o fato é que acidentes acontecem. E a gente sabe toda a dor que pode existir após um acidente, com feridos e mesmo pessoas que se vão.
E um recado final. Não importa qual a distância que for percorrer com o veículo. Afivele o cinto de segurança sempre. Seja para ir na padaria ou mercado no final da rua, ou uma viagem mais longa, ou mesmo para ir ao trabalho. Você pode ser um bom motorista, mas não temos como saber dos outros, muito menos, quando um acidente pode ocorrer. E lembrem sempre, o condutor é responsável por cobrar e verificar se os passageiros estão utilizando o cinto de segurança. A sua vida e bem-estar é com certeza a coisa mais importante pra sua família. O mesmo de você em relação à sua família e filhos.
Essas são as dicas deste encontro, no “De olho no trânsito com a PRF”.

Celso Morais*
*Policial Rodoviário Federal



*Chefia de Gabinete do Senhor Superintendente da PRF/RS – Assessoria de Gabinete;

*Formado em PERÍCIA DE ACIDENTES pela PRF em Sergipe.
*Presidente da Comissão Regional de Educação para o Trânsito da PRF/RS por 6 anos ...

O que os empreendedores devem saber sobre o E-Social


As empresas têm hoje diversas obrigações fiscais a serem cumpridas e que devem ser comunicadas aos órgãos públicos como INSS, Receita Federal, Ministério do Trabalho, Caixa Econômica Federal. Cada declaração é elaborada em sistemas, e em momentos, diferentes.

O E-Social, regulamentado pelo Decreto nº 8373/2014, veio para ajudar as empresas, uma vez que sintetiza num só sistema de envio eletrônico todas as informações que os órgãos precisam receber e que estarão interligadas entre si.

Para ajudar nesta missão, separei uma lista sintetizada das obrigações fiscais a serem incorporadas pelo E-Social: GFIP-Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social; CAGED - Cadastro Geral de Empregados e Desempregados para controlar as admissões e demissões de empregados sob o regime da CLT; RAIS-Relação Anual de Informações Sociais; LRE- Livro de Registro de Empregados; CAT-Comunicação de Acidente de Trabalho; CD- Comunicação de Dispensa; CTPS–Carteira de Trabalho e Previdência Social; PPP-Perfil Profissiográfico Previdenciário; DIRF-Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte; DCTF-Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais; QHT– Quadro de Horário de Trabalho; MANAD–Manual Normativo de Arquivos Digitais; Folha de pagamento; GRF–Guia de Recolhimento do FGTS e GPS– Guia da Previdência Social.

A criação do E-social vai facilitar a vida das empresas e a do Governo no processo de fiscalização. Dessa forma, o passivo fiscal de cada funcionário ou tomador de serviço poderá ser acessada facilmente através de um único banco de dados.

Já para o cidadão, é a certeza de que não haverá erros com seus dados, garantindo seus direitos previdenciários e trabalhistas, simplificando processos como os de aposentadoria, seguro acidente do trabalho e saque do FGTS, agilizando a checagem de informações.

O início da aplicação do novo sistema começou no dia 1 de janeiro para as empresas que faturaram acima de R$ 78 milhões no ano de 2016. Para os demais, a obrigatoriedade inicia a partir do dia 1 de julho.

Você que é empresário, fique atendo. Qualquer dúvida consulte o seu contador. Vale lembrar que a maioria dos sistemas informatizados já foram preparados para integração, portanto, quando você faz a sua folha de pagamento, já terá quase que 100% das informações necessárias que o governo precisa saber.

O governo desburocratizou e facilitou a gestão para as empresas, para o cidadão e para ele mesmo.

Carlos José Berzoti *
*Empresário e palestrante especializado no mercado imobiliário. Graduado em contabilidade, corretor de Imóveis com certificação IREM, especialização internacional para administração de condomínios e gestão de patrimônio. ...

Nota de Repúdio


Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (ABERT), a Associação Nacional de Editores de Revistas (ANER) e a Associação Nacional de Jornais (ANJ) repudiam com veemência as agressões e hostilidades ocorridas desde a noite desta quinta-feira (5) contra jornalistas que trabalham na cobertura dos eventos relacionados à decretação da prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.


Toda essa violência injustificável e covarde decorre da intolerância e da incapacidade de compreender a atividade jornalística, que é a de levar informação aos cidadãos. Além de atentar contra a integridade física dos jornalistas, os agressores atacam o direito da sociedade de ser livremente informada.

A ABERT, a ANER e a ANJ se solidarizam com os profissionais e as empresas vítimas das agressões e hostilidades e esperam que todos os fatos sejam apurados pelas autoridades responsáveis, com a punição dos agressores, nos termos da lei.

A liberdade de imprensa e o direito à informação são básicos nas sociedades democráticas, e estão sendo desrespeitados pelo autoritarismo dos agressores. Todos aqueles que prezam a democracia precisam se colocar contra esses lamentáveis episódios e se mobilizar para que não voltem a ocorrer. Sem jornalismo, não há democracia.


Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão

Associação Nacional de Editores de Revistas

Associação Nacional de Jornais





...

A urgente preocupação com a proteção de dados nas redes sociais e a autodeterminação informacional


O fato recentemente descoberto da empresa de marketing político Cambridge Analytica - a qual conseguiu informações de mais de 50 milhões de usuários da rede social Facebook e, com isso, teria influenciado as eleições nos Estados Unidos da América e do Reino Unido - reascendeu o debate sobre a proteção de dados.

O assunto deve ser tratado com a maior urgência e preocupação possível. Em nossa sociedade da informação e de vigilância, a proteção de dados de usuários concerne a todos os envolvidos (usuários, plataformas, terceiros etc.). Trata-se de uma questão de segurança jurídica que afeta diretamente todos os cidadãos e, no campo, usuários da internet.

No campo jurídico, o Brasil carece de legislação apropriada. O Marco Civil da Internet de 2014 não trata de série de conceitos fundamentais na disciplina. Existem Projetos de Lei - o mais recente de 2016 - que tentam esboçar, ainda de maneira imperfeita, uma segurança mínima no tema.

Direitos da personalidade como intimidade e privacidade são aqui a pedra de toque. Quando uma pessoa cede um dado a certa plataforma, precisamos conhecer e reconhecer a extensão dos deveres e direitos deste responsável pelos dados.

Parece-me que o melhor seria considerarmos o assunto sob a ótica da doutrina e julgados alemães, muito mais afinados à nossa cultura do que propriamente o modelo de privacy estadounidense. Na Alemanha, é clara a presença do princípio da finalidade dos dados: somente pode ser requerido e mantido um dado em certa base conforme a finalidade a que ele presta. Existe relação inquebrável e civilizatória entre dado e sua finalidade: Zweckverbindung. Sem finalidade determinada, o dado não pode ser requerido; esgotada a finalidade, o dado deve ser apagado.

Na hipótese das redes sociais, existe Política de Privacidade que os usuários aderem. Existe prevalência nos estudiosos de que o consentimento para qualquer outra finalidade externa às redes sociais deva ser expresso e explícito. Porém, como se disse, o Brasil carece de legislação específica. O risco desta ausência já foi sentido em julgados europeus. Alguns permitiram o "vazamento" de dados para além das redes sociais, com base em comportamentos concludentes.

Às vésperas da entrada em vigor na Europa do novo Regulamento sobre o tema (em 25 de maio de 2018), denominado General Data Protection Regulation, é o momento mais adequado para o Brasil retomar a discussão do assunto de forma científica e profissional. Precisamos urgentemente de uma legislação afinada com o modelo da autoderminação informacional e fundada no princípio tanto da finalidade quanto do consentimento expresso dos usuários. Só assim conseguimos a segurança no tráfego de dados.

Por Rodrigo de Lima Vaz Sampaio*
* Advogado e professor de Direito Civil e Proteção de Dados do CEU Law School ...

Coluna da OAB


Cartilha para Pagamento de RPV’s e Precatórios: canal para advogados relatarem problemas

Atenta às possíveis dificuldades no pagamento dos precatórios federais por parte do TRF4, a OAB/RS divulga um canal para que através dele sejam relatados eventuais problemas no recebimento dos bancos pagadores. A instituição participou da recente elaboração da Cartilha, a qual orienta para a forma de pagamento, tendo sido construída com a participação e concordância do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, que operam esse pagamento. “Esta é uma demanda da advocacia gaúcha. Através da nossa Comissão de Previdência Social, temos trabalhado fortemente para atender essa justa reivindicação dos colegas”, destaca o presidente da OAB/RS, Ricardo Breier. A orientação é no sentido de que, entre o advogado e seu cliente, seja permitido o pagamento fracionado no momento do recebimento das quantias. Caso ocorra alguma dificuldade, é só relatar a situação para a Comissão de Previdência Social através do e-mail comissoesespeciaissec2@oabrs.org.br.

Integração com a advocacia em Bagé

Em comemoração aos 85 anos da subseção de Bagé, o presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, e o presidente da OAB/RS, Ricardo Breier, foram até a sede da subseção para uma conversa com mais de 40 profissionais na segunda-feira (05). Breier destacou as recentes conquistas da advocacia gaúcha: “Garantimos a Lei das Custas, que isenta os advogados do pagamento de custas nas ações de execução de honorários; o enfrentamento da publicidade irregular; o eproc na Justiça Estadual; o INSS Digital e, recentemente, a inclusão da advocacia no IPE Saúde”. Após isso, os dirigentes deram sequência a mais uma edição do projeto De Colega para Colega, que integra o Plano de Valorização da Advocacia e consiste no encontro dos presidentes com advogados e advogadas em seus escritórios.

Cooperação: OAB/RS e a URCAMP firmam acordo

A OAB/RS, por meio da Escola Superior de Advocacia (ESA/RS), firmou um acordo de cooperação técnico-científica e integração com a Universidade da Região da Campanha (Urcamp). O convênio foi assinado na noite de segunda-feira (02). A ESA/RS vai conceder aos alunos laureados a gratuidade nos cursos promovidos exclusivamente pela Instituição, nas modalidades: presencial, EaD e telepresencial, pelo período de um ano após a formatura. Oportunizar a realização de palestras institucionais direcionadas aos alunos é uma entre outras atividades propostas no convênio que a Universidade irá proporcionar aos acadêmicos.

Grupo de Pesquisa em Áreas de Preservação Permanente

A Escola Superior de Advocacia da OAB/RS (ESA/RS), juntamente com a Comissão de Direito Ambiental da OAB/RS (CDA), abre o edital para ingresso no Grupo de Pesquisa em Áreas de Preservação Permanente - APPs Urbana: pesquisa jurisprudencial. O Grupo tem o intuito de integrar novos membros com: o desenvolvimento de pesquisas, a compilação dos resultados e a redação de artigos, além de proporcionar a publicação dos resultados da pesquisa no formato e-book coletivo “APP Urbana”, a ser lançado em outubro deste ano. Os interessados devem encaminhar um e-mail para direitoambiental@oabrs.org.br, anexando um currículo atualizado, até esta terça-feira, dia 10 de abril.


Comunicação Social da OAB/RS ...

Coluna da OAB


Ação da OAB/RS conquista suspensão de publicidade irregular

Um dos pilares do Plano de Valorização da Advocacia, o combate à captação indevida de clientes e a publicidade irregular, continua com ações efetivas e bem-sucedidas. Na noite da terça-feira (27), a OAB/RS garantiu a tutela de urgência para a suspensão imediata de publicidade sobre o exercício da advocacia, promovido irregularmente pela empresa Asseprev Assessoria e Cobrança Ltda., bem como a divulgação dessa atividade em seu site. A decisão foi do juiz Francisco Donizete Gomes da 2ª Vara Federal da Justiça Federal, em Porto Alegre. Segundo o presidente da OAB/RS, Ricardo Breier: “não será permitido que sejam ofertados serviços privativos da advocacia ou de uma sociedade de advogados sem o devido registro junto a nossa entidade, bem como não permitiremos a mercantilização e a captação irregular de clientes. Essa é uma bandeira muito forte da nossa gestão”, completou.

Advogados dativos I

A situação da remuneração dos advogados dativos gaúchos foi o tema de uma reunião extraordinária na sede da OAB/RS. Na manhã da quarta-feira (28), por mais de três horas, a diretoria da Ordem gaúcha e os presidentes de dezenas de subseções discutiram a declaração de inconstitucionalidade, dada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), sobre a Lei Estadual nº 11.667/2001, que tratava da ordenação do pagamento de advogados dativos e de outros profissionais, e a publicação do Ato nº 018/2018-P pelo presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS), desembargador Carlos Eduardo Zietlow Duro, suspendendo o pagamento de honorários advocatícios aos defensores dativos, por parte do Judiciário.

Advogados dativos II

Após ouvir, desde a semana passada, os ex-presidentes da OAB/RS, o Conselho Pleno da Seccional e os desembargadores do Quinto Constitucional, Breier convocou os presidentes de subseções para trazerem as realidades de diferentes regiões do Estado. “Fizemos um esforço em convocar os presidentes, em razão da urgência do tema. Embora tenhamos o Colégio de Presidentes no próximo mês, em Caxias do Sul, é necessário priorizar esse assunto”, sublinhou Breier. Embora ainda não haja uma definição objetiva sobre a remuneração dos advogados dativos pelo trabalho realizado, até porque seguem as negociações entre Poder Executivo e Poder Judiciário do Rio Grande do Sul, a OAB/RS se movimenta para tentar acelerar o processo de definição e de encaminhamento dessa situação. A Ordem gaúcha listou algumas recomendações, acesse o www.oabrs.org.br para saber mais.

Inscreva-se para a última etapa do Circuito de Corridas dos Advogados RS

As inscrições para a última etapa do 1º Circuito de Corridas dos Advogados RS já estão abertas. Para garantir sua vaga, basta acessar o site www.caars.org.br/circuitodecorridas, preencher os dados e confirmar sua presença nas categorias: advogados ou público geral. A prova será realizada em Porto Alegre, no dia 22 de abril, com a largada prevista para às 9h, no Parque Marinha do Brasil. Promovido pela CAA/RS, o circuito percorreu diversas regiões do Estado e mobilizou centenas de atletas, que encararam o desafio das provas de 5 e 10 quilômetros pelas ruas das principais cidades gaúchas.


--
Comunicação Social da OAB/RS ... ...

Apendicite aguda e doença de Crohn têm sintomas similares e tratamentos completamente diferentes


Uma é bem conhecida, e até temida. A outra, não tão famosa, mas igualmente perigosa. Ambas possuem sintomas similares, porém, os tratamentos são totalmente diferentes. Estamos falando da apendicite e da doença de Crohn, duas condições facilmente confundidas.

Enquanto a apendicite é solucionada por meio de procedimento cirúrgico a doença de Crohn possui intervenção medicamentosa. A Dra. Elizabeth Ayub, professora do Cetrus - Centro de ensino que oferece curso em Diagnóstico por Imagem - , explica os sintomas e esclarece as principais dúvidas tanto de médicos quanto de pacientes com relação as duas enfermidades.

A apendicite aguda é uma inflamação do apêndice — pequeno segmento rudimentar do intestino grosso. Os primeiros sintomas podem ser facilmente confundidos com gastrite, pois, o paciente começa a sentir um incômodo na parte alta do abdômen ou "na boca do estômago" como é popularmente conhecido. Neste primeiro momento é possível ter febre baixa, que vai aumentando gradativamente. Depois a dor migra para a região do umbigo e finalmente se posiciona no abdômen inferior mais à direita, onde está localizado o apêndice. Também é comum a perda de apetite, vômito, prisão de ventre, além da progressão da dor.

"Os sintomas evoluem em questão de horas. Há muitos pacientes que sentem sintomas que não são muito específicos dependendo da localização da apendicite. Por esta razão, o diagnóstico pode ser confundido com infecção urinária ou uma inflamação da vesícula biliar. Por isso, é tão importante que os médicos tenham mais conhecimento na análise da ultrassonografia do trato intestinal para conseguir fazer o diagnóstico correto", explica Elizabeth.

"Apendicite é uma das doenças mais frequentes no pronto socorro no hospital onde trabalho, inclusive, casos em crianças são os mais frequentes. O procedimento é cirúrgico e não há fatores externos que impliquem no surgimento da doença como alimentação, estresse, dentre outros", conta.

Já a doença de Crohn é uma inflamação séria do trato gastrointestinal, que afeta predominantemente a parte inferior do intestino delgado (íleo) e intestino grosso (cólon), mas pode afetar qualquer parte do trato gastrointestinal. A doença compromete todas as camadas da parede intestinal: mucosa, submucosa, muscular e serosa. Tem início com maior frequência na segunda e terceira décadas de vida, mas pode afetar qualquer faixa etária.

A especialista explica que a doença aparece na ultrassonografia com certa facilidade, o que ajuda no diagnóstico. "O paciente pode ter um episódio da doença e nunca mais voltar a sentir os sintomas, que se assemelham a apendicite aguda como dor no abdômen inferior à direita, lugar onde o apêndice também provoca dor. A ultrassonografia é um recurso que o médico pode utilizar como primeira avaliação para o diagnóstico da doença", reforça.

Os sintomas da doença de Crohn são dores abdominais associadas à diarreia, que pode ter ou não sinais de muco e sangue; febre; feridas na boca, aftas; perda de peso e de apetite; sintomas oculares, os olhos ficam avermelhados e sensíveis à luz; artrite: as articulações (joelhos e tornozelos) correm o risco de inchar, causando dor e endurecimento.

A doença de Crohn é tratada com medicamentos fortes para retroceder o processo inflamatório, aliviar os sintomas, prevenir que a doença volte, corrigir as deficiências nutricionais. A intervenção cirúrgica pode ocorrer para os casos mais graves de obstrução intestinal, hemorragias e fístulas.

A Dra. Elizabeth Ayub aconselha a estarem atentos aos primeiros sintomas para que as doenças intestinais não cheguem ao estágio mais grave, levando em consideração que ambas podem ser fatais se não forem tratadas de forma adequada.

Para os médicos que conhecem o método ultrassonográfico e desejam ampliar a sua área de atuação ou aprimorar a técnica ultrassonográfica do trato gastrointestinal, o Cetrus está com inscrições abertas para o curso à distância de Ultrassonografia do Trato Gastrointestinal. Confira o conteúdo programático e as condições para participar da próxima turma.

*******

Breve currículo da Dra. Elizabeth

» Graduada pela Universidade Nacional de Assunción
» Residência em Coloproctologia na Santa Casa de Misericórdia de São Paulo
» Título de especialista em Ultrassonografia Geral pelo CBR
» Coordenadora da Pós-Graduação em US do Hospital Mater Dei - BH

INFORMAÇÕES PARA IMPRENSA

Oribá – Soluções Criativas ... ...

Especialista dá dicas para se proteger das Fake News.


Nem altos membros do judiciário brasileiro estão imunes às chamadas Fake News – notícias falsas que são compartilhadas pelas redes sociais.

O fato é que esse tipo de boato não é novidade e existia até quando não tínhamos televisão ou internet, mas agora com as redes sociais elas ganharam uma ampliação natural maior e consequentemente um impacto maior na sociedade.

Para o especialista em novas tecnologias da comunicação Armindo Ferreira não adianta esperar que as próprias redes sociais criem ferramentas de filtro ou de denúncia. É necessário que cada pessoa entenda o impacto que uma notícia falsa pode trazer para a sociedade.

"O usuário final é o elo mais fraco dessa cadeia. É por isso que hackers atacam o usuário do home banking e não a instituição financeira. Essa mesma lógica se aplica às notícias falsas", explica Ferreira que atua há mais de 15 anos no ambiente digital.

Para proteger mais essa ponta da cadeia da notícia ele deu algumas dicas que todo mundo pode usar antes de compartilhar uma notícia.

Qual é a reputação da fonte da notícia? Ela é mesmo confiável? Tem CNPJ ou jornalista responsável pelo conteúdo?
Trata-se de um artigo opinativo ou de uma matéria jornalística que ouviu todos os lados e oferece as fontes da informação com links para que você possa consultar?
Aquela informação é passível de discussão jurídica? Pode caluniar ou difamar alguém? Lembre-se que você pode sim ser processado na justiça por uma notícia falsa compartilhada mesmo que não seja você o autor dela. O simples fato de compartilhar uma calúnia pode te causar problemas jurídicos.
Desconfie de notícias que vem com fontes de nomes como renomados médicos ou especialistas. Pesquise na internet se esses especialistas existem mesmo e se são referências em seu setor.
Notícias que vem com reforços para você compartilhar nas redes sociais também são suspeitas. Isso porque o autor da Fake News quer fazer com que mais pessoas leiam aquela mentira.
Pesquise em mais de uma fonte, veja se grandes veículos de comunicação repercutiram aquela história e principalmente busque o contraditório, ou seja, pessoas que publicaram aquele mesmo conteúdo, mas sob uma ótica diferente.
Respira antes de compartilhar: a notícia não precisa ser compartilhada naquele segundo. Reflita sobre a real importância daquilo e principalmente qual impacto aquilo pode trazer. Crie a sua opinião e ponto de vista e não deixe que criem isso por você.

"No final das contas a melhor ferramenta para combater as Fake News é a própria internet", finaliza Armindo.

Mais sobre Armindo Ferreira:

Consultor de mídias e negócios digitas (um dos 30 mais influentes do Brasil – youpix) Armindo Ferreira;

Armindo Ferreira é um dos principais influenciadores de negócios do país. Consultor de novas tecnologias, redes sociais e assuntos ligados a internet reconhecido como um dos principais profissionais deste segmento no estado de SP.

Com uma sólida carreira no jornalismo – tendo trabalhado nas principais emissoras de TV do Brasil – decidiu se dedicar às consultorias para ajudar as empresas e influenciadores a se relacionarem com o mundo digital.
Foi considerado uma das 30 pessoas mais influentes no universo digital pelo Youpix. Já palestrou para o Sebrae, Cubo, Campus Party, YouPix, e nos estados do Paraná, Rio de Janeiro, Paraíba e Acre.
...




Edição n° 178 - Março 2018

Selecionar Edição
  • Edição n° 180
  • Edição n° 179
  • Edição n° 178





  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821