Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 19 de Fevereiro de 2020. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
30975638


Edicão n° 200 de Fevereiro 2020


Chuvas retomam ânimo dos produtores e soja segue em desenvolvimento
17/01/2020

Com 99% da área prevista para a safra de 5.978.967 hectares já implantada, as lavouras de
soja no Rio Grande do Sul estão 56% na fase de desenvolvimento vegetativo, 34% em
floração e 10% em enchimento de grãos. De acordo com o Informativo Conjuntural, divulgado
pela Emater/RS-Ascar nesta quinta-feira (16/1), em parceria com a Secretaria da Agricultura,
Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), na região de Santa Rosa, as condições físicas do
solo em termos de retenção de água têm estabelecido diferentes condições de
desenvolvimento às plantas.

Em parte das lavouras em desenvolvimento vegetativo, vem ocorrendo murchamento de
folhas; naquelas mais adiantadas, tem havido abortamento de flores nas primeiras camadas.
Em solos mais rasos ocorre morte de plantas devido ao déficit hídrico (reboleiras).

Em geral, o desenvolvimento das lavouras de soja ainda é satisfatório, mesmo diante da falta
de umidade e altas temperaturas das duas últimas semanas. A permanência dessas condições
de tempo pode resultar em perdas de produtividade. A irregularidade de chuvas indicará os
percentuais de perdas.

Na Regional de Ijuí, a cultura da soja foi bastante afetada pela estiagem, comprometendo o
desenvolvimento das lavouras plantadas em outubro. Os produtores retomaram as aplicações
de fungicidas de forma preventiva. Há registros de ataque de ácaros e tripes. Na de Soledade,
as condições do tempo ainda não permitiram concluir os plantios previstos para a safra, mas a
boa notícia do período foi o volume de chuva na região (de 40 a 100 milímetros), amenizando
de forma parcial os reflexos da estiagem, principalmente na região do Baixo Vale do Rio Pardo,
onde há registros de mortes de plântulas em lavouras com semeadura tardia.

Em geral, evidenciaram recuperação as lavouras em desenvolvimento vegetativo que tiveram
crescimento e desenvolvimento reduzido no período da estiagem. Há registro de baixa
incidência de pragas, não sendo necessárias medidas de controle.

Potencial produtivo do milho é variado

No milho, apesar das chuvas ocorridas no Estado, os acumulados não revertem o déficit
hídrico em boa parte das lavouras, que tem prejudicado o desenvolvimento da cultura.
Totalmente implantada no RS, a cultura do milho encontra-se 20% em germinação e
desenvolvimento vegetativo, 13% em floração, 28% em enchimento de grãos, 26% maduro e
13% dos 771 mil hectares já foram colhidos.

Na Regional Administrativa da Emater/RS-Ascar de Ijuí, que corresponde a 10% da área
cultivada com milho no Estado, a cultura está em maturação em 50% das lavouras, e
granação em 30%. O potencial produtivo varia muito; diversos municípios apontam perdas
superiores a 50% e em alguns no Corede Celeiro não há perdas.

A colheita do milho avança, chegando a 17% da área cultivada para produção de grãos e 64%
para silagem. As lavouras colhidas para silagem apresentam rendimento de 25 a 30 mil quilos
por hectare, muito abaixo da estimativa inicial. A massa verde está desidratada, com
consequente perda de qualidade. Áreas da região Celeiro apresentam boas produtividades, e a
colheita ultrapassa 35% das lavouras em alguns municípios. Com a melhora das condições de
umidade do solo, os agricultores estão manejando as áreas para o segundo plantio da cultura.

Na região de Santa Rosa, maior produtora de milho do Estado, com 15,4% da área, a cultura
está 42% em maturação, com a colheita avançando para 45% das lavouras, com leve redução
no rendimento, devido à baixa umidade do solo nos últimos dias e ocorrência de poucas
chuvas, atingindo lavouras em plena floração e formação inicial do grão. Tal quadro pode
reduzir a produtividade do milho safrinha e das lavouras semeadas mais no tarde, que se
encontram nos estágios reprodutivos e de enchimento de grãos, notadamente as que mais
sofrem em função da restrição de umidade.

Na de Lajeado, no Vale do Taquari, o milho é cultivado tanto para produção de grãos como
para silagem. Dos 90 mil hectares previstos, 60% se destinam à silagem e 40% para a
produção de grãos. Nesta safra, em função da falta de chuvas, tem ocorrido o corte para
silagem de lavouras de milho, inicialmente destinadas à produção de grãos.

As perdas variam conforme a época do plantio. Das lavouras plantadas no cedo, que
representam 30% do total, a maior parte foi destinada para silagem. Essas foram afetadas
pelo excesso de chuvas durante a germinação e o início do desenvolvimento vegetativo,
principalmente em outubro, onde ocorreram mais que 400 mm de chuvas. As lavouras ficaram
com estande de plantas desuniforme e população abaixo da recomendada. O milho conseguiu
florescer e encher o grão, porém teve perdas em termos de volume e qualidade.

Nas lavouras plantadas em outubro, o milho floresceu em plena estiagem, dificultando a maior
parte da fecundação da espiga. Metade das lavouras foi implantada em novembro e dezembro,
e se encontram em desenvolvimento vegetativo e pré-floração e, apesar de a estiagem ter
comprometido o seu desenvolvimento, não há condições de contabilizar perdas.

Texto: Ascom Emater/RS-Ascar






Edicão n° 200 de Fevereiro 2020
14/02/2020 - Galeria da Penitenciária de Arroio dos Ratos passa por operação de revista
14/02/2020 - Operação afasta prefeito, secretários e vereador por suspeita de crimes licitatórios
14/02/2020 - Ex-presidente de Câmara de Vereadores é condenados a 04 anos de reclusão por fraude em concurso público
14/02/2020 - Acidente com morte na BR 290 próximo ao Posto do Roque
13/02/2020 - Para curtir a praia com as crianças em segurança
13/02/2020 - Saiba o que é preciso observar nas pintas da pele
13/02/2020 - Parque Itapuã inicia última fase do projeto-piloto de reabertura das praias
13/02/2020 - Ações educativas e fiscalização marcam atuação da Balada Segura no Litoral
13/02/2020 - Universidade Estadual recebe inscrições para cursos de especialização
13/02/2020 - Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo já pode ser impresso em casa
13/02/2020 - Calendário Esportivo 2020 é divulgado pela Prefeitura de Butiá
13/02/2020 - Transporte Escolar Consciente. Seminário pioneiro da Prefeitura de Guaíba sobre a segurança das crianças.
13/02/2020 - Nova etapa de vacinação contra o Sarampo
13/02/2020 - Circuito Verão Sesc terá Futevôlei em Guaíba
13/02/2020 - Passe Livre Estudantil
05/02/2020 - Delações Premiadas e prisões preventivas
05/02/2020 - Como diferenciar doenças respiratórias comuns de um eventual caso de gravidade do coronavírus
05/02/2020 - Qualificação com solidariedade em Sapiranga
05/02/2020 - Ajorsul apoia campanha de conscientização contra óculos falsificados
05/02/2020 - Iniciam as obras da Havan em Guaíba
05/02/2020 - Encontro com os coordenadores regionais organiza início do ano letivo de 2020
05/02/2020 - Plano de monitoramento do coronavírus é apresentado aos coordenadores regionais da Saúde
05/02/2020 - Rodeio de Charqueadas está próximo
05/02/2020 - Prefeitura de Charqueadas abre Processo Seletivo Simplificado de Estagiários para Monitoria Educacional e Digital
04/02/2020 - Comprovação do direito da Aposentadoria Especial
04/02/2020 - O que fazer quando acontecem os pequenos ferimentos em crianças
03/02/2020 - Música auxilia no tratamento de pacientes com câncer
03/02/2020 - Dia 5 de maio é último prazo para o recadastramento biométrico para os eleitores de Eldorado do Sul
02/02/2020 - Agentes Comunitários realizam atualização de cadastros
01/02/2020 - Anuncie no Jornal ECO do Jacuí
01/02/2020 - Farmácia do Noel
01/02/2020 - Serviço de Contabilidade
01/02/2020 - Tintas em Arroio dos Ratos
01/02/2020 - Madeira Tratada em Arroio dos Ratos



Edição n° 200 - Fevereiro 2020

Selecionar Edição
  • Edição n° 200
  • Edição n° 199
  • Edição n° 198







  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821