Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 14 de Outubro de 2019. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
30338219


Edicão n° 196 de Outubro 2019


Redução da mortalidade infantil avança no Rio Grande do Sul
02/08/2019

O Rio Grande do Sul caminha para ter uma taxa de mortalidade infantil que se consolide
abaixo do coeficiente de dez mortes a cada mil nascidos vivos. Porém, para melhorar os
indicadores, tem como grande desafio cuidar melhor da saúde das mães e dos recém-
nascidos.

Os óbitos de crianças menores de um ano apresentam uma maior concentração em causas
evitáveis por conta da inadequada atenção à mulher na gestação, sendo essa proporção um
pouco maior no Estado do que no Brasil. É o que aponta um estudo divulgado pela Secretaria
de Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag) nesta quarta-feira (31/7) que traça um
panorama sobre as metas fixadas pela Organização das Nações Unidas (ONU) para garantir
melhor saúde e bem-estar da população.

Números preliminares indicam que a taxa de mortalidade infantil no Rio Grande do Sul fechou
2018 em 9,67 casos para cada mil nascimentos, o que se aproxima em muito do coeficiente
de 9,50 estabelecido para ser alcançado até o final deste ano. Dados já consolidados de 2017
colocam o Estado com uma mortalidade infantil em números bem mais favoráveis em relação
ao cenário nacional: 10,07 casos para cada conjunto de mil nascidos vivos, sempre
considerando também os óbitos neonatais (até 28 dias após o parto). O Brasil conseguiu
recuar para 12,39 a taxa em 2017 (era de 12,72 no ano anterior).

Quando se considera o cenário da mortalidade na infância (crianças de até cinco anos,
portanto mais abrangente), os números do Rio Grande do Sul se mantiveram praticamente
estáveis desde 2015. Este é o critério de avaliação sobre algumas das metas fixadas pela ONU
através dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS 3). Em 2017, com uma taxa de
11,92, ficava atrás apenas do Paraná (11,79) e de Santa Catarina (11,39), sendo o terceiro
Estado com melhor desempenho no Brasil. Estes indicadores mostram que o RS tem boas
chances de alcançar a meta que o país se comprometeu a atingir em 2030 (taxa de 8). O que
serve de alerta, no entanto, é que o RS chegou a ocupar o segundo lugar dois anos antes.

“O estudo tem uma importância grande para criarmos uma cultura de prestação de contas
sobre as políticas públicas e o quanto precisamos qualificar os serviços”, destacou o
secretário-adjunto de Planejamento e Orçamento da Seplag, Gilberto Pompilio de Melo Filho.
Ele observa que esses indicadores servirão de referência para as prioridades dos próximos
anos. “O governo está encaminhando nesta semana a proposta do Plano Plurianual (PPA 2020-
2023), em que o desafio está em integrar estas políticas da saúde e de outras áreas que
afetam as metas”, acrescentou.

Desenvolvida pelos analistas pesquisadores Daiane Menezes e Guilherme Risco, que integram
o Departamento de Economia e Estatística (DEE), a avaliação sobre algumas das metas
fixadas pelos ODS 3 incluiu ainda as situações que levam crianças a morrer antes de um ano
de idade por causas evitáveis. Eles ressaltam a importância de programas como o Primeira
Infância Melhor (PIM), que tinha perto de 54 mil famílias atendidas no final de 2018. A meta e
chegar a 60,2 mil ao final deste ano.

Um dos indicadores com resultados positivos que o estudo aponta se refere à taxa de gravidez
na adolescência. Uma das metas é assegurar acesso universal aos serviços de saúde sexual e
reprodutiva, incluindo planejamento familiar e mais informações sobre o tema. O RS tem uma
situação mais favorável na comparação com as taxas nacionais, bem como em relação aos
demais estados da região Sul. Em 2017, registrou 17.574 casos de mães adolescentes a cada
mil (entre 15 e 19 anos), ao passo que o Paraná (também com uma população de pouco mais
de 11 milhões de habitantes) teve 21.444 adolescentes grávidas.

Cobertura vacinal
O estudo mostra também que o Rio Grande do Sul segue uma tendência nacional e perigosa
em termos de queda na cobertura vacinal. Uma série histórica com informações do Ministério
da Saúde mostra que as imunizações aplicadas (percentual da população vacinada) passou a
cair a partir de 2013 para doenças como hepatite B e poliomielite, entre outras doenças.

Este comportamento explica, em parte, os casos de mortes por doenças transmissíveis, como
são os casos, além da hepatite, da tuberculose e da dengue. Uma das metas dos ODS 3 é
acabar com as epidemias de doenças transmissíveis, o que inclui aids e malária. Em 2017, o
RS teve 8,8% dos óbitos por causas evitáveis como decorrência de doenças infecciosas, um
pouco abaixo dos 9,2% verificados no país.

Suicídios aumentam
Outro alerta do estudo é para os casos de morte por doenças não transmissíveis, com maior
incidência na população adulta. Os óbitos por causas evitáveis na faixa entre 20 e 59 anos
(doenças cardiovasculares, neoplasia, doenças infecciosas, causas externas, entre outras)
chegam a atingir patamares de 49,4% dos falecimentos. A mortalidade prematura por
doenças não transmissíveis fica cinco pontos percentuais acima da média nacional.

Neste aspecto, é preocupante a escalada de casos de suicídio no Estado e no país. Em 2017, a
taxa de suicídios no RS chegou a 11.65 casos por 100 mil habitantes (1.349 mortes), sempre
com viés de alta nos últimos três anos.

Menos mortes nas estradas
O RS vem conseguindo diminuir o número de mortes no trânsito desde 2010, antes mesmo do
desafio de atender a uma das metas da ONU de reduzir pela metade os casos fatais e de
feridos até 2020. Mesmo com uma pequena oscilação em 2017 (16,42 mortes por 100 mil
habitantes), o Estado tem indicadores mais positivos na comparação com os vizinhos do Sul.
Com este comportamento histórico, o RS hoje é o 8º entre os estados brasileiros com menor
taxa de mortalidade de acidentes de trânsito.

Além das metas definidas nos ODS 3, o estudo elaborado pelo Departamento de Economia e
Estatística buscou analisar também os resultados das ações definidas como prioritárias pelo
governo no Plano Plurianual 2016-2019, tanto nas ações de preventivas da saúde, como de
educação para um trânsito mais seguro.






Edicão n° 196 de Outubro 2019
14/10/2019 - Pracinhas de Madeira Tratada a Preço de Fábrica
14/10/2019 - O REFIS 2019 já está disponível! Aproveite a melhor forma de pagamento.
14/10/2019 - Em 200 dias, aplicativo que indica o menor preço alcança 50 mil downloads
14/10/2019 - Mestrado acadêmico em conservação da diversidade biológica está com inscrições abertas
14/10/2019 - Confiança de empresários gaúchos atinge melhor índice desde maio deste ano
14/10/2019 - Reforma Tributária: Não se deve resolver um problema criando outros
14/10/2019 - Prova AMRIGS passará a ser seleção nacional para programas de Residência Médica
14/10/2019 - Tecnologia deve reduzir custo e ampliar acesso a cirurgia bariátrica e tratamentos para obesidade e diabetes
14/10/2019 - Curso sobre Farmácias Vivas prepara profissionais para uso de plantas medicinais
11/10/2019 - DNIT alerta para serviços de manutenção na BR-116, nesta sexta-feira (11)
11/10/2019 - Governo apresenta reforma estrutural a representantes de policiais civis e agentes penitenciários
11/10/2019 - Convênios com bombeiros civis fortalecem atendimento em rodovias estaduais
11/10/2019 - Margs oferece oficinas gratuitas ao público infanto-juvenil
11/10/2019 - Operação de estreia da comissão de emergências ambientais
11/10/2019 - Uso de meios alternativos de transporte alcança marca histórica na capital.
11/10/2019 - Desequilíbrio financeiro do Estado exige reformas estruturais
11/10/2019 - Rio Grande do Sul é um dos vencedores do Prêmio Sebrae de Educação Empreendedora
10/10/2019 - Dia Mundial de Saúde Mental chama atenção para aumento de adoecimentos no século XXI
09/10/2019 - Cresce o número de pessoas endividadas em setembro
08/10/2019 - Inscrições para o Gauchão de Várzea começam nesta quarta (9) e seguem até 20 de outubro
08/10/2019 - Uma Lei para alertar sobre os riscos do uso excessivo de telas na infância
08/10/2019 - Harmonia no rosto e beleza fazem crescer procura por procedimentos estéticos nos lábios
08/10/2019 - Instituto da Criança com Diabetes participa da campanha nacional da ADJ Diabetes Brasil sobre Retinopatia Diabética
08/10/2019 - Governador inicia debate com a sociedade sobre reformas em carreiras de servidores e previdência
08/10/2019 - Emendas parlamentares garantem R$ 127 milhões para hospitais e instituições de saúde do Estado
08/10/2019 - Resultado da votação para o conselho tutelar no município
08/10/2019 - Prefeitura de Eldorado do Sul adere à campanha Outubro Rosa
08/10/2019 - Atenção para o período de inscrições para as creches e na pré-escola!
08/10/2019 - Outubro Rosa em Guaíba
08/10/2019 - Duplicação da ERS-239 ampliará rota entre Serra e Região Metropolitana
08/10/2019 - Organizado pela Seduc, Ideathon aproxima educadores e alunos
08/10/2019 - Ação conjunta descobre agrotóxicos proibidos e contrabandeados em lavouras de arroz
08/10/2019 - Aquisição de alimentos para merenda escolar será feita por cartão de compras a partir de 2020
08/10/2019 - Porto Alegre sedia a Copa de Ginástica e Dança
08/10/2019 - XXI Gincana Municipal movimentaram final de semana com tarefas antecipadas
08/10/2019 - Butiá Kids é nesta quarta-feira (9)
06/10/2019 - Tintas em Arroio dos Ratos
06/10/2019 - Lançamento do Projeto Memória é nesta segunda em Butiá
04/10/2019 - Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais: muito além de uma simples adequação
04/10/2019 - Evento debate desafios do atendimento ao paciente em emergências
04/10/2019 - Coluna da OAB/RS
04/10/2019 - Conheça os benefícios dos ovos para uma alimentação saudável
04/10/2019 - Programa “Butiá Mais Seguro” atinge 100 câmeras integradas
04/10/2019 - Instalada Frente Parlamentar em Defesa dos Portadores de Psoríase e Artrite Psoriática
04/10/2019 - Oficina de Restauro recupera peças históricas no Palácio Piratini
04/10/2019 - Educação Infantil puxa crescimento do nível socioeconômico do RS
04/10/2019 - Caminhada inicia atividades do Outubro Rosa em Guaíba
04/10/2019 - Passagem de ônibus a R$ 1 no próximo domingo. Dia será eleição no Conselho Tutelar
04/10/2019 - Prefeitura acompanha ação voluntária na Apae
04/10/2019 - Projeto de tratamento de esgoto do Delta é pauta em reunião na Corsan
01/10/2019 - Anuncie no Jornal ECO do Jacuí
01/10/2019 - Farmácia do Noel
01/10/2019 - Barbearia Roque
01/10/2019 - Preserva Rio Grande - Madeira Tratada em Arroio dos Ratos
01/10/2019 - Estado libera R$ 31,4 milhões para investimentos na Educação
01/10/2019 - Consórcio antecipa investimento de R$ 2,4 bi em linhas de transmissão de energia
01/10/2019 - Projeto levará exames de mamografia para áreas remotas do Estado
01/10/2019 - Vigilância em Saúde ressalta a importância da prevenção à raiva em animais domésticos
01/10/2019 - Motorista que matou estudante durante racha na Estrada do Mar é condenado por homicídio doloso no trânsito
01/10/2019 - Governo encaminha ajustes finais para cronograma de convocações na Segurança
01/10/2019 - BM recebe reforço de cerca de R$ 5 milhões em viaturas e armamentos
01/10/2019 - Empresários gaúchos mantêm-se otimistas, aponta Fecomércio-RS
01/10/2019 - Divulgadas equipes classificadas para o 1º concurso de Aplicativos e Games da Rede
01/10/2019 - Secretaria da Saúde discute políticas públicas para idosos com Associação Parkinson
01/10/2019 - Eleições para o Conselho Tutelar
01/10/2019 - Outubro Rosa em Guaíba
01/10/2019 - Butiá terá Espetáculo Artístico e Baile da Gincana neste sábado (5)
01/10/2019 - Mais um acidente grave na BR 290 no trecho que já deveria ter sido duplicado



Edição n° 196 - Outubro 2019

Selecionar Edição
  • Edição n° 196
  • Edição n° 195
  • Edição n° 194







  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821