Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 21 de Outubro de 2018. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
26120991


Edicão n° 184 de Outubro 2018


Urna Eletrônica, Fraude: Bolsonaro tem razâo - Parte I
04/10/2018

“Pelo que eu vejo nas ruas, não aceito resultado das eleições diferente da minha
eleição”. Bolsonaro deu essa declaração preocupado com fraude nas urnas eletrônicas.
Ele tem razão, conforme veremos a seguir.

Sou autor do livro autobiográfico De Faxineiro a Procurador da República,
estou escrevendo um livro que pretendo publicar ainda este ano. Na obra, entre outras
coisas que a sociedade não tomou conhecimento, explico o motivo de uma organização
criminosa se instalar no poder e, por muitos anos, não ser efetivamente combatida;
relato, também, os reais bastidores da Lava Jato, pois o que foi publicado até agora ou é
informação oficial, que diverge da realidade, ou é informação clandestina, fruto de
vazamentos, que por serem seletivos, só vazaram o que interessou. Também consta no
livro informações sobre urna eletrônica, que a sociedade precisa saber. Neste artigo,
que é dividido em três partes, faço um resumo do que consta na obra.

O que escrevo sobre urna eletrônica é baseado na minha experiência de trabalhado
como procurador eleitoral em dois pleitos eleitorais (2000 e 2002), na formação técnica
que possuo em eletrônica, na troca de informações com procuradores que
trabalharam/trabalham na área eleitoral, em informações obtidas com técnicos
especializados na área de urnas eletrônicas e em pesquisas para o livro. Assim, com
base na minha experiência e no conhecimento da área, não tenho a menor dúvida em
afirmar que a urna eletrônica é violável, e o pior: é insusceptível de auditagem real,
apenas virtual, não sendo possível prevenir nem detectar eventual fraude.

Vamos, então, à primeira parte do artigo, a outra será publicada na quarta-feira e, a
última parte, na quinta-feira.

Tudo indica que, em 1998, o PT perdeu a eleição para governador de Brasília por causa
de fraude nas urnas eletrônicas. Cristóvam Buarque, na época, filiado ao PT, era
governador de Brasília, candidato à reeleição. Eu morava, trabalhava e votei em Brasília
e sou testemunha de que Buarque fez bom governo, ademais, na época, o PT era tido
como partido defensor da moralidade, assim, tudo indicava que o então governador
petista seria reeleito, sem dúvida alguma. Nas ruas só se falava na sua vitória. A
indicação de que os eleitores iam votar nele não chegava a ser o que é hoje a do
candidato Bolsonaro, mas era bem visível a vantagem a seu favor. No entanto, as
pesquisas indicavam apenas pequena vantagem de Cristóvam Buarque sobre o
adversário mais próximo: Joaquim Roriz (PMDB), falecido recentemente.
Na eleição de 4 de outubro de 1998 (primeiro turno), Cristóvam Buarque teve 42,67%
dos votos válidos e Joaquim Roriz, 39,23%. No segundo turno, a vantagem do Buarque
nas ruas e em qualquer local público parecia ainda maior, todavia, as pesquisas,
embora indicassem que ele estava na frente, davam pequena vantagem, sendo que, no
dia da eleição, as pesquisas indicaram “empate técnico”, isso, nem de longe, era o que
se via nas ruas, nos comentários de bar, nos supermercados, nas padarias etc.
Inclusive, na seção em que votei, era nítida a presença de eleitores, na maioria quase
absoluta, dando indicativo de votar em Cristóvam Buarque, porém quem ganhou a
eleição foi Joaquim Roriz, que obteve 51,74% dos votos válidos, Cristóvam Buarque,
48,26%.
Nem o mais otimista eleitor do Roriz acreditava na vitória dele. Um conhecido meu, cabo
eleitoral do Joaquim Roriz, que fez campanha em todo o Distrito Federal, disse-me que
não acreditava de jeito algum na vitória, pois em todo lugar que ele ia era visível a
preferência dos eleitores por Cristóvam Buarque. As evidências indicam, às escâncaras,
que aquela eleição foi fraudada e tudo indica que a fraude nas urnas eletrônicas foi
combinada com pesquisas eleitorais.
Por conta da pesquisa para o livro, tenho acompanhado, auxiliado por diversos
informantes, a campanha eleitoral dos candidatos à Presidência da República. É
impressionante as inúmeras manifestações de pessoas em prol da candidatura de
Bolsonaro. Acredito que em eleição alguma no mundo se viu tamanhas manifestações
voluntárias de eleitores em prol de um candidato. Em qualquer show de espetáculo
(teatro, música etc) que o nome dele é citado no microfone a multidão responde
positivamente, o mesmo ocorre em igrejas, tanto evangélicas como católicas.
Bolsonaro é ovacionado por torcidas adversárias em campo de futebol, que gritam
“mito”, “mito” “mito”, como ocorreu no jogo do Cruzeiro e Atlético Mineiro, Vasco e
Ceará, Flamengo e Corinthians e outros. Nas ruas, as carreatas dele, em qualquer lugar
do país, são infinitamente maior do que qualquer outro candidato. Nunca vi ninguém ter
apoio popular maciço e voluntário como o candidato em questão. Seus eleitores parecem
ser mais ferrenhos defensores de uma causa do que apenas eleitores.
Qualquer pesquisa informal que se faça sobre pretensão de voto, Bolsonaro ganha
disparadamente. Inclusive, na Ilha do Marajó, Pará, minha terra de origem, em locais
que já foi reduto do PT, onde quem falasse mal do Lula corria risco de apanhar,
atualmente, de cada 10 eleitores, 8 dizem que vão votar no “mito” e dois não sabem em
quem vão votar.
Com efeito, afigura-se muitíssimo estranho os resultados das pesquisas darem pequena
vantagem a ele com indicativo de derrota no segundo turno para qualquer candidato. E
mais. Embora seja comum um candidato, após sofrer um atentado, obter a simpatia das
pessoas, a rejeição a ele nas pesquisas fez aumentar, o que vai na contramão da lógica
e do que se observa nas ruas e em qualquer lugar público.
Espero, sinceramente, estar equivocado, mas tudo indica que nesta eleição presidencial
repetir-se-á fraude análoga a que, as evidências indicam, ter ocorrido na eleição de
1998 para governador de Brasília, que Cristóvam Buarque, mesmo as ruas e todos os
lugares públicos indicarem o contrário, perdeu a eleição. O que aconteceu naquela
eleição, cuja evidência indica que houve fraude casada entre pesquisas e urnas
eletrônicas parece se desenhar nesta eleição, pois parece evidente que as pesquisas
não revelam a realidade do tamanho do eleitorado disposto a votar no candidato em
epígrafe.

Continuo amanhã falando dos tipos de urnas existentes, sendo que o Brasil é o único
país do planeta que adota a urna eletrônica sem registro impresso de votos. O outro
país que adotava o mesmo tipo de urna era o Paraguai, todavia, deixou de utilizar por
falta de segurança e transparência na contagem de votos.

Manoel Pastana
Escritor e membro do Ministério Público Federal
Autor do livro autobiográfico De Faxineiro a Procurador da República







Edicão n° 184 de Outubro 2018
19/10/2018 - Brigadianos ampliam conhecimentos em ferramentas de análise criminal
19/10/2018 - Governo entrega armas e viaturas para a Brigada Militar na Região Central
19/10/2018 - Seduc inaugura novo espaço para formação e atendimento em educação especial
19/10/2018 - Semana da Alimentação no RS termina neste domingo na Redenção
19/10/2018 - Outubro Rosa na AMRIGS ressalta a importância da mulher conhecer o próprio corpo
19/10/2018 - PRF prende homem e apreende agrotóxico em Eldorado do Sul
15/10/2018 - Secretaria da saúde reduz fila nos procedimento e consultas especializadas
15/10/2018 - SMEC divulga datas para matrículas e rematrículas para o ano de 2019
15/10/2018 - Por trás dos genes: entenda o que faz o médico especialista em genética
15/10/2018 - PRF recupera veículo, apreende droga e revólver e prende um homem em Tapes
15/10/2018 - Operação Viagem Segura do feriado fiscaliza mais de 14 mil veículos
15/10/2018 - Leilões do DetranRS ofertam 725 veículos e sucatas em Tramandaí
15/10/2018 - Corsan autoriza obra que vai reforçar abastecimento de Charqueadas e São Jerônimo
04/10/2018 - Operação Desmanche interdita estabelecimento em Montenegro
04/10/2018 - Definido o esquema de segurança para o final de semana das eleições
04/10/2018 - Fase inicia ações de prevenção ao câncer de mama no Outubro Rosa
04/10/2018 - Abertas inscrições para contratação de médicos reguladores
04/10/2018 - RS conquista nove medalhas na etapa regional dos Jogos da Juventude
04/10/2018 - Projeto de robótica beneficia alunos do turno integral da rede pública estadual
04/10/2018 - Hospital de Charqueadas reabre com leitos de saúde prisional, mental e geral
04/10/2018 - Urna Eletrônica, Fraude: Bolsonaro tem razâo
04/10/2018 - Pequenos cuidados ao se barbear ajudam a proteger a pele
04/10/2018 - Urna Eletrônica, Fraude: Bolsonaro tem razâo - Parte II
04/10/2018 - DNIT/RS inicia manutenção periódica na BR-116/RS (Vão móvel até Guaíba)
04/10/2018 - Urna Eletrônica, Fraude: Bolsonaro tem razâo - Parte I
04/10/2018 - Prefeitura e Corsan regularizam a água de mais quatro comunidades
04/10/2018 - Dois guaibenses voltaram do Chile com troféus e vagas para o mundial de Karatê.
04/10/2018 - Prefeito de Butiá e Secretário de Obras definem ações
01/10/2018 - Pracinhas de Madeira Tratada
01/10/2018 - Anuncie no Jornal ECO do Jacuí
01/10/2018 - Barbearia Roque
01/10/2018 - Serviços de Contabilidade
01/10/2018 - Farmácia no Parque Eldorado



Edição n° 184 - Outubro 2018

Selecionar Edição
  • Edição n° 184
  • Edição n° 183
  • Edição n° 182







  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821