Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 19 de Setembro de 2018. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
25811762


Edicão n° 183 de Setembro 2018


Milícia não é polícia
16/05/2018

Um levantamento do Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro revela que em oito anos as milícias dobraram sua área de atuação no município carioca. De 2010 até hoje, o total de favelas sob o controle de grupos paramilitares aumentou de 41 para 88. O dado é reflexo da forte atuação das milícias que, assim como as facções, se impõem atualmente como uma opção de combate à insegurança frente ao decadente cenário urbano do Rio.

Há quem defenda a presença do grupo como a solução ideal para um basta na desordem urbana carioca, uma vez que o Estado se mostra cada vez mais enfraquecido com suas políticas públicas de mitigação à violência. Mas não é bem assim. Não podemos defender a atuação das milícias simplesmente como uma medida desesperadora de autodefesa cidadã.

O encantamento popular se dá porque as milícias têm uma posição, digamos assim, mais oficial sob os olhos da comunidade. Talvez não é sabido pela grande massa da livre passagem que o grupo tem nos bastidores do poder estatal, com suas equipes compostas por policiais militares aposentados e/ou expulsos, bombeiros e outros profissionais ligados a entidades de proteção civil. Esta mescla de leis próprias com mecanismos estatais cria um poder paralelo, capaz de ganhar o respeito em determinados territórios do estado do Rio de Janeiro, sobretudo, os localizados em áreas periféricas.

Engana-se quem acha que há um cunho puramente social na gestão dos grupos paramilitares nas favelas. Eles até podem garantir mais segurança à comunidade em relação a outros criminosos, como assaltantes e traficantes, mas há um preço a ser pago pelos moradores. As milícias controlam serviços, como a TV a cabo e a distribuição de botijões de gás, bem como cobram taxa aos moradores e comerciantes. Um ato rentável, que despertou o interesse escuso de várias esferas oficiais da sociedade.

O apoio político também tem uma importante presença ao se envolver neste processo em busca de votos nestas regiões mais carentes. Juntando a fome com a vontade de comer, os políticos têm polos eleitorais estabelecidos nessas comunidades, conquistam votos de cabresto e, como forma de agradecimento, o estadista dá proteção aos criminosos.

Talvez isso explique o papel reativo das autoridades competentes para combater as milícias. Houve uma CPI isolada aqui. Algumas operações específicas quando a coisa estava muito gritante ali e, assim, seguiu o baile focando mais em ações contra as facções criminosas, tidas como não oficiais neste caso. Nada mais do que isso.

A cada dia, as milícias estão cada vez mais fortes, com muitas armas e muito dinheiro para financiar a compra de mais estrutura e o silêncio de muitos. Atualmente, mapeia-se, pela Inteligência da Segurança Pública, mais de 200 territórios espalhados por todo o Estado, onde já se falam de uma milícia pura, formada somente por agentes públicos, e de uma milícia mesclada, em que já houve o recrutamento e a junção de traficantes. Nesta última, se juntou também os modelos de captação de recursos, por meio de pedágios ilegais e do tráfico de armas e drogas.

Por isso, pense duas vezes ao defender a presença de grupos paramilitares no quadro de intervenção do Rio de Janeiro. Não sejamos vítimas da nossa afoita ignorância, mesmo vivendo em tempos vulneráveis de violência. Milícia não é polícia.

Carlos Guimar *
* Gerente de segurança corporativa da ICTS Security, empresa de consultoria e gerenciamento de operações em segurança, de origem israelense.






Edicão n° 183 de Setembro 2018
08/02/2030 - Hospital de Butiá recebe novo aparelho de raio-x
18/09/2018 - Setembro Dourado conscientiza sobre câncer infantil com apoio de órgãos estaduais
18/09/2018 - Procon RS alerta para novas medidas na área de telefonia móvel
18/09/2018 - Comitiva de SC vem ao estado conhecer a experiência da Operação Desmanche
18/09/2018 - Governo apresenta a prefeituras o plano de prevenção contra cheias
18/09/2018 - Rio Grande do Sul atinge meta da vacinação contra pólio e sarampo
18/09/2018 - Novo Referencial Curricular vai destacar os povos que formaram o Rio Grande do Sul
18/09/2018 - Fepam assina termo de compromisso para logística reversa de baterias automotivas
18/09/2018 - Adolescentes da Fase confeccionam bonecas para crianças do Instituto do Câncer Infantil
08/09/2018 - Gestão é receita das escolas estaduais melhor avaliadas no Ideb
08/09/2018 - Procon RS alerta sobre os recalls de setembro
04/09/2018 - Reta final: projetos de estudantes podem ser inscritos no Desafio Criativos da Escola até o dia 1º de outubro
04/09/2018 - SMEC capacita profissionais em Eldorado do Sul
04/09/2018 - Banda de Percussão de Eldorado do Sul conquista título em Osório
04/09/2018 - Prefeito recebe o novo delegado da Polícia Civil
04/09/2018 - Aproximação com o médico e gestão pedagógica
04/09/2018 - Chegou a hora de eleger!
04/09/2018 - Administração Municipal inaugura Escola Professor Alcides Conter, em Butiá
04/09/2018 - Operação Viagem Segura de Independência ocorre de quinta a domingo
04/09/2018 - Força Gaúcha de Pronta Resposta inicia atividades contra criminalidade
03/09/2018 - Madeira Tratada
01/09/2018 - Lavagem automotiva
01/09/2018 - Farmácia do Noel
01/09/2018 - Barbearia Roque
01/09/2018 - Serviços de Contabilidade em Eldorado do Sul
01/09/2018 - Fisioterapia no Parque Eldorado
31/08/2018 - Ferramenta permite registro rápido e fácil de produtores florestais
31/08/2018 - BM forma mais de 400 PMs permitindo o retorno de praças às ruas
31/08/2018 - SES abre processo para contratação emergencial de técnicos de enfermagem
31/08/2018 - Uergs recebe inscrições para Mestrado em Ambiente e Sustentabilidade até quarta-feira
31/08/2018 - Melhora o desempenho do Rio Grande do Sul na Prova Brasil
31/08/2018 - Daer usa tecnologia pioneira para inspecionar rodovias com altos índices de acidentes
31/08/2018 - DetranRS abre inscrições para curso EAD de Educação para Ciclistas
31/08/2018 - Capital gaúcha é pioneira em programa de rastreamento do câncer de intestino
31/08/2018 - Unidade Sesc/Senac Guaíba oferece cursos Técnicos EAD
31/08/2018 - Abertas as inscrições para realização do 2º processo seletivo de estágio na prefeitura de Eldorado do Sul
30/08/2018 - DNIT realiza ações do Programa de Saúde Pública na duplicação da BR-116/RS
30/08/2018 - Chama Crioula chega em Butiá
30/08/2018 - Saiba como conquistar o crédito rural e a regularização fundiária
30/08/2018 - Campanha de vacinação contra pólio e sarampo terá novo Dia D no sábado
29/08/2018 - Polícia Rodoviária Federal recupera dois carros roubados em desmanche na Região das Ilhas
23/08/2018 - Secretaria Municipal de Obras e Viação (SMOV) realiza limpeza no Bairro Itaí
16/06/2018 - Observe suas palavras
01/12/2017 - Mecânica e Retífica de Motores



Edição n° 183 - Setembro 2018

Selecionar Edição
  • Edição n° 183
  • Edição n° 182
  • Edição n° 181







  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821