Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 10 de Dezembro de 2018. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
26612343


Edicão n° 186 de Dezembro 2018


Custos médico-hospitalares crescem no Brasil em linha ao padrão global
18/04/2018

A variação de custos médico-hospitalares (VCMH) é o principal indicador usado mundialmente para aferição de custos em sistemas de saúde (públicos ou privados). Trabalho inédito do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) constata que a VCMH do Brasil tem seguido um padrão global de comportamento, similar ao encontrado inclusive nas economias mais desenvolvidas e estáveis. Por exemplo, a VCMH do Reino Unido é 4,2 vezes superior à inflação geral da economia local, segundo um dos critérios aplicado, enquanto a proporção brasileira, pelo mesmo parâmetro, é de 2,8 vezes. "Mesmo em países que apresentam inflação geral da economia bastante baixa, como aconteceu no Brasil em 2017, nota-se que a VCMH tem crescido em ritmo bastante acelerado, de dois dígitos", pondera destaca Luiz Augusto Carneiro, superintendente executivo do IESS.

O estudo inédito "Tendências da variação de custos médico-hospitalares: comparativo internacional" reúne e analisa os dados de três das principais consultorias que apuram o comportamento do VCMH no mundo (Aon Hewitt, Mercer e Willis Towers Watson), uma importante contribuição para a compreensão do tema pois, cada uma dessas consultorias, divulgam isoladamente suas informações e, por questões técnicas e comerciais, não comparam os resultados entre si. "O estudo é especialmente importante por traçar, pela primeira vez, um panorama geral e integrado da VCMH no mundo, ao invés da fotografia parcial capturada por cada um dos relatórios", afirma.

Para o levantamento, foram consideradas as VCMHs apuradas no ano de 2017 – dado mais recente disponível – de mais de 200 operadoras de planos de saúde (OPS) em diferentes países.

De acordo com os relatórios da AON, por exemplo, a VCMH da Holanda supera a inflação média em 5,1 vezes e, do México, em 3,4 vezes. No Brasil, a proporção foi de 2,8 vezes. Os números da Mercer também destacam o indicador 6,1 vezes superior à inflação geral da Dinamarca; e os da Towers apontam que na Grécia a VCMH é 8,3 vezes maior do que a inflação da economia. No geral, o Brasil aparece entre os 20 países com maior diferença entre VCMH e inflação geral. Veja o quadro comparativo completo:

Foram identificados no estudo os principais fatores causadores da elevação dos custos médico-hospitalares no mundo e quais as estratégias mais efetivas para combater o problema, assegurando a sustentabilidade econômico, financeira e assistencial do setor. Essencialmente, a principal causa para a expansão da VCMH na saúde está relacionada à incorporação de novas tecnologias e ao processo de envelhecimento populacional, que demanda mais cuidados e serviços em saúde.

"É importante observar que mesmo em países como Canadá, Austrália, Holanda e Reino Unido, com sistemas robustos de análise de custo e efetividade para a incorporação de novas tecnologias, esse é um fator de aumento da VCMH. No Brasil, a saúde suplementar não dispõe desses mesmos requisitos, diferentemente do SUS, que conta com a avaliação da Conitec. Essa é uma das situações que potencializa a alta da VCMH no Brasil", alerta Carneiro.

Ele acrescenta que falhas de mercado, especialmente a ausência de indicadores de qualidade para que se possa identificar os melhores prestadores de serviços e a justa precificação; a falta de transparência nas relações entre os agentes de mercado; e a incorporação de novos procedimentos, medicamentos e tratamentos sem critérios de custo-efetividade, potencializam a VCMH brasileira. Todo esse ambiente encontra amparo no modelo prevalente para pagamento de serviços prestados de saúde, o chamado fee-for-service, ou "conta aberta".

Por conta desses problemas, embora as estimativas de VCMH variem um pouco entre os relatórios, nos três casos a VCMH para planos empresariais médico-hospitalares do Brasil é de aproximadamente 17%, o que coloca o país entre os 10 países de maior VCMH do mundo.

"No caso do Brasil, ainda precisamos considerar o período de recessão econômica e aumento do desemprego que resultaram na queda do total de beneficiários, sem uma correspondente redução de custos assistenciais, a judicialização da saúde e os elevados custos de OPMEs, uma questão que esbarra em problemas como assimetria de informação e até mesmo fraudes", pondera Carneiro.

Os três relatórios estudados argumentam que o combate à prescrição excessiva de exames e procedimentos e o uso inapropriado de serviços médicos, com foco no combate ao desperdício, são elementos fundamentais para conter o avanço acelerado da VCMH.


Sobre o IESS
O Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) é uma entidade sem fins lucrativos com o objetivo de promover e realizar estudos sobre saúde suplementar baseados em aspectos conceituais e técnicos que colaboram para a implementação de políticas e para a introdução de melhores práticas. O Instituto busca preparar o Brasil para enfrentar os desafios do financiamento à saúde, como também para aproveitar as imensas oportunidades e avanços no setor em benefício de todos que colaboram com a promoção da saúde e de todos os cidadãos. O IESS é uma referência nacional em estudos de saúde suplementar pela excelência técnica e independência, pela produção de estatísticas, propostas de políticas e a promoção de debates que levem à sustentabilidade da saúde suplemen


Fonte: Letra Certa Estratégia e Tática em Comunicação






Edicão n° 186 de Dezembro 2018
06/12/2018 - Encontro debate qualificação da gestão das escolas agrícolas
06/12/2018 - Servidores participam de Roda de Conversa pelo fim da violência contra mulheres
06/12/2018 - Operação Avante Papai Noel garante mais segurança nas compras de Natal
06/12/2018 - Prefeitura convida a comunidade a participar do Seminário do Plano Diretor
06/12/2018 - Prefeitura recebe banda musical do PROJARI
06/12/2018 - Rede de ensino municipal recebe novos computadores
06/12/2018 - Guaíba passa a ter vários CEPs.
06/12/2018 - Prefeitura de Butiá concede desconto e da prêmios para o pagamento do IPTU
06/12/2018 - Primeira Infância Melhor (PIM) realiza evento “Semana do Bebê”, em Butiá
06/12/2018 - Depósito de pães com fezes de roedores em supermercado é interditado
06/12/2018 - Saúde na Escola é abordado em seminário no Centro Administrativo
06/12/2018 - Selo do Inmetro será obrigatório para veículos movidos a GNV no RS
06/12/2018 - Homicídios e latrocínios têm queda no estado conforme dados da SSP
06/12/2018 - Operação desbarata organização criminosa que desviou milhões da saúde de Canoas
05/12/2018 - Bobinas de aço aumentam transporte de cargas no Porto de Porto Alegre
05/12/2018 - Viatura doada pela PRF à BM ajudará em ações de combate às drogas nas escolas
05/12/2018 - Cem mil gaúchos já têm a Carteira Nacional de Habilitação no celular
05/12/2018 - Bandidos são mortos ao tentarem assaltar a Caixa Federal em Arroio dos Ratos.
05/12/2018 - Kits de irrigação serão entregues a pequenos produtores rurais em 346 municípios
01/12/2018 - Pracinhas de Madeira Tratada
01/12/2018 - Anuncie no Jornal ECO do Jacuí
01/12/2018 - Farmácia no Parque Eldorado
01/12/2018 - Prazo para placas do Mercosul no RS será 17 de dezembro
01/12/2018 - Secretaria da Educação conclui processo eleitoral de diretores nas escolas estaduais
01/12/2018 - Casos de Aids registram redução progressiva nos últimos dez anos no RS
01/12/2018 - Zero discriminação às pessoas vivendo com HIV/Aids é tema de campanha publicitária e seminário no RS
01/12/2018 - Receita Estadual e MP desbaratam fraude milionária no ramo de alumínio
01/12/2018 - Levantamento alerta para infestação do Aedes aegypti em 93 cidades do RS
01/12/2018 - Dono de mercado é preso em fiscalização
01/12/2018 - Decreto prorroga prazo para convocação de professores em regime especial
01/12/2018 - Governo contrata 40 médicos reguladores para atuar no Samu estadual
01/12/2018 - Operação Primeiro Comando resulta em 18 prisões no combate a homicídios em Porto Alegre
01/12/2018 - A Vero, rede de adquirência do Banrisul, está lançando um plano com máquina de cartão gratuita. Ao aderir ao Plano Free, o credenciado pode ter a máqu
01/12/2018 - DNIT/RS conclui reforma da Ponte do Fandango em Cachoeira do Sul-RS
01/12/2018 - Último mutirão para desapropriações na BR-116/RS termina com 96% de acordo
01/12/2018 - Dermatologistas visitam escolas de Porto Alegre e incentivam fotoproteção das crianças
01/12/2018 - Plano Nacional Diabólico
01/12/2018 - Coluna da OAB/RS
01/12/2018 - Rematrículas e matrículas da Rede Municipal de Ensino iniciaram nesta segunda-feira (26), em Butiá
01/12/2018 - Atenção para a lista dos contemplados com vaga para a creche e outras informações importantes:
01/12/2018 - Prefeito garante dinheiro para a saúde, em Brasília.
28/11/2018 - Transporte escolar de Eldorado do Sul contará com inspetores escolares
28/11/2018 - Decreto torna área privada em espaço público no bairro Sans Souci



Edição n° 186 - Dezembro 2018

Selecionar Edição
  • Edição n° 186
  • Edição n° 185
  • Edição n° 184







  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821