Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 20 de Julho de 2018. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
23517986


Edicão n° 181 de Julho 2018


Divórcio X Alienação Parental
26/02/2018

Ao longo dos anos que acompanhamos pais (pai e mãe) com problemas de guarda de
seus filhos, prática de alienação parental, litígios intensos, processos intermináveis, há
sempre um ponto de congruência, a animosidade entre eles.

É nítido nestes casos mais calorosos (beligerância) que o divórcio ou a separação do
casal foi traumática, um total desastre que levou a falência do relacionamento.

Nestes casos, sempre há uma discussão em relação aos bens do casal, onde uma parte
entende que a outra não merece participar com o quinhão que lhe pertence, incluindo
nesta discussão a guarda dos filhos. A discussão sempre parte de ambos, pois, é a
forma de atingir um ao outro, pelos bens materiais.

Em diversos processos de guarda de menores, há a citação de que o genitor ou genitora
não está cumprindo com a divisão dos bens, ou seja, sempre surge uma discussão em
razão de valores.

Quando no processo de divórcio a guarda dos filhos provisoriamente fica a cargo da
genitora (99% dos casos), estabelece-se uma verba de alimentos provisória, devendo o
genitor ser o provedor de tal valor.

É muito comum também o genitor usar o argumento de que o valor determinado para
alimentos é exagerado e que não vai dar dinheiro para manter luxos da ex-esposa.

Ou seja, como já dito, uma discussão insana e insensata por ambos (Genitor e Genitora)
e que acaba por atingir a prole e expor ao perigo de sofrerem alienação parental, tanto
pela parte de um como do outro.

O livro AINDA SOMOS UMA FAMÍLIA da escritora Lisa René Reynolds, nos ilumina com
casos reais quando em Connecticut, nos Estados Unidos, iniciou o programa PEP –
Programa de Educação Parental, um curso ministrado pela escritora a inúmeros casais
em processo de separação.

As experiências relatadas, vividas por pessoas de diversas etnias, religião, idades, faixas
socioeconômicas, relatam inúmeras situações, diversas e particulares a cada caso,
porém, as questões essenciais sempre são comuns entre elas.

Constata-se que, na maioria dos casos de separação de casais, as vitimas são as
crianças. Foram elaboradas pesquisas nos Estados Unidos que demonstram que os filhos
de pais separados afirmam que a separação dos pais sempre lhes afetaram de forma
negativa.

A mudança que ocorre, por ocasião da separação dos casais, alterando o meio de
convivência familiar, por si só, afeta demasiadamente os filhos.

Saibam, aqueles que estão se separando ou se separaram, e vivem enorme conflito,
litigio, beligerância, que seus filhos já sofreram demasiadamente com a separação do
casal, principalmente pela sensação de terem perdido a família. Este sentimento de
perda é o mais doloroso dos sentimentos para os filhos, superando em muito a
necessidade de adaptação a nova situação de papai e mamãe não morarem mais juntos
e ainda, com a certeza de que conviverão em um ambiente de tristeza que acompanha a
separação do casal.

Esta perda, ou seja, a sensação de ter perdido a família, acaba sendo uma espécie de
luto para os filhos, sensação de vazio, da falta daquele que não mais estará presente no
dia a dia (pai ou mãe – dependendo de quem terá a guarda provisória).

Se o casal, na sua separação, não conseguir visualizar que seus filhos não se separam
deles e que continuarão sendo pais, torna a situação ainda pior para que seus filhos
superem a tristeza que lhes envolve. Sentem os filhos, que a separação dos pais é o
término de um de seus mundos.

O não entendimento do casal que se separam, de que, seus filhos já irão experimentar
uma enorme perda, o féretro da união falida de seus genitores, e ainda, derem início a
uma prática de atuar junto aos mesmos de forma a denegrir a imagem do outro genitor,
buscando culpar alguém (um dos genitores) pela falência provocada (fim do
casamento), aumentará a sensação de desespero a estas crianças.

É comum, em um litigio de divórcio e guarda de filhos, o senitor "A" quando em
companhia dos filhos, querer especular o que o senitor "B" tem feito, e posterior,
quando ao retorno dos filhos ao genitor "B", este especular sobre o que aconteceu e
como está vivendo aquele que estava com a companhia dos filhos.

As crianças se sentem usadas como sendo espiões, fofoqueiros, criando assim, mais um
conflito psicológico nas crianças. Estas, irão se sentir usadas pelos seus pais para
espionarem.

Sabemos que, uma situação de divórcio é diferente da outra, assim como, uma família é
diferente da outra, ou seja, cada casal e filhos possuem suas particularidades. Portanto,
entendemos que não há uma formula mágica ou matemática para aplicar nos casais que
decidem separar. Mas há, uma principal meta que precisamos fazer todos entenderem, e
que, a medida que esta compreensão seja ampliada, haverá a diminuição dos efeitos da
alienação parental.

A separação vai alterar a dinâmica familiar, a sua relação com seu Ex vai mudar, porém
o que não muda é que pai e mãe não extinguem a relação deles com seus filhos.
Continuarão sendo o alicerce de seus filhos, o exemplo que eles se espelharão. Portanto,
se decidiu se separar, por mais penoso que seja a separação, coloque como meta que
você (pai e mãe) deverão construir uma nova rede de relacionamento com seus filhos e
que esta será a sua nova família.

Portanto, o divórcio possui uma relação intima com a prática da alienação parental e a
destruição do psicológico dos filhos.

Cabe aos casais que se separam, antes de mais nada, buscarem auxilio de profissionais
para que possam lidar com a nova dinâmica de vida que experimentarão.

As experiências vividas por casais que, ao decidirem sobre a separação, buscam
orientações psicológicas para lidar com a situação, resultam em um processo dinâmico
de divórcio, de resolução da guarda dos filhos, da convivência entre filhos e pais
separados, de relacionamento maduro e objetivo na busca de educar e amparar os
filhos.

Nestes casos, inclusive, a divisão de bens acaba por se resolver de forma pacífica, visto
que, deixa de ser o objeto usado para o início da guerra judicial.

Mesmo em casos mais penosos, como traição, a ajuda profissional ampara o casal em
litigio, amenizando o espirito de vingança, afinal, devemos analisar friamente que, toda
a traição há uma suposta razão, ou aquele que traiu já não deveria ter se casado pois
não se sentia confortável com a companhia ou acabou por trair em razão de abandono
ou desprezo. Em geral, quem busca em outro cocho comida diferente ou é insaciável e
guloso ou abandona o que lhe ofereceram por um tempero melhor.

Logicamente sofrerei inúmeras críticas com esta afirmação, porém, se cada um analisar
friamente, resume-se exatamente nestes dois pontos.

Quando as partes entendem que não há como reatar, não há culpa, pois deixaram um
de conhecer o que o outro demonstrou anteriormente, entenderão que, o melhor para
ambos é cada um viver a sua própria vida, e ambos, viverem a vida de seus filhos, ou
seja, dedicarem-se aos filhos, mesmo que separados. Proporcionarem aos filhos o
máximo que poderão proporcionar na condição de pais separados. Conviverem com seus
filhos o máximo que puderem de forma sadia e salutar.

Alienar parentalmente as crianças em função de um divórcio mal resolvido, não é a
solução, pois as vitimas são seres humanos que não pediram para estar neste campo de
batalha e muito menos pediram para serem usadas como objetos por parte de seus
genitores insatisfeitos.

*Paulo Eduardo Akiyama é formado em economia e em direito 1984. É palestrante,
autor de artigos, sócio do escritório Akiyama Advogados Associados, atua com ênfase no
direito empresarial e direito de família. Para mais informações acesse
http://www.akiyamaadvogadosemsaopaulo.com.br/ ou ligue para (11) 3675-8600. E-
mail akyama@a






Edicão n° 181 de Julho 2018
11/08/2018 - Copa Mabilde de Futsal promove integração das escolas das ilhasCopa Mabilde de Futsal promove integração das escolas das ilhas
19/07/2018 - DNIT desenvolve ações contínuas com escolas próximas à BR-116/RS
19/07/2018 - Sociedade de Pediatria defende direito da criança ser atendida pelo médico pediatra
19/07/2018 - Evento debate reutilização da água e tratamento de esgoto em empreendimentos
19/07/2018 - Por que é tão importante estar atento aos atrasos no desenvolvimento da criança?
19/07/2018 - Coluna da OAB/RS
19/07/2018 - Câmara de vereadores de Butiá homenageia a Escola Estadual de Ensino Médio Visconde de Mauá
19/07/2018 - "Promessas no G1" recebe grandes nomes da cena musical cristã
18/07/2018 - Servidores da Sema recebem habilitação da Marinha para condução de embarcações
16/07/2018 - Prefeitos consideram inviável assumirem a Freeway
16/07/2018 - Unidade Sesc/Senac Guaíba promove curso de Gestão de Pessoas e Relacionamento Interpessoal
16/07/2018 - Em Butiá Nota Fiscal Legal atinge 122 mil cupons trocados em sete meses
16/07/2018 - Ministério Público faz doações de agasalhos para campanha do estado
16/07/2018 - Fepam fiscaliza transporte de produtos perigosos
12/07/2018 - Prefeitura de Butiá cria núcleo para auxiliar entidades do município
12/07/2018 - PRF prendeu um casal de idosos transitando como uma motocicleta roubada em Eldorado do Sul
12/07/2018 - PRF prendeu um homem e aprendeu uma motocicleta que circulava com placa clonada em Butiá
12/07/2018 - Procon RS alerta para novas medidas na área de telefonia móvel
12/07/2018 - Onça parda é flagrada no Parque Itapuã após 16 anos
12/07/2018 - Coluna da OAB/RS
12/07/2018 - DNIT/RS realiza serviços de manutenção na BR 116, sexta, sábado e domingo (13,14,15/07)
12/07/2018 - SBGM defende uso de ácido fólico no primeiro trimestre de gestação
11/07/2018 - Assinado contrato de R$ 50 mil que beneficia produtores da Agricultura Familiar em Butiá
11/07/2018 - Reduzidas tarifas de ônibus que trafegam pela BR-290 e Freeway
11/07/2018 - Mortes por Aids caem no RS, mas autoridades insistem na prevenção
10/07/2018 - PRF prende pela segunda vez um motorista de caminhão por dirigir embriagado
10/07/2018 - Prefeito de Butiá toma posse na diretoria da Famurs
10/07/2018 - Plataforma inteligente monitora segurança e detecta situações de risco
10/07/2018 - Toyota confirma intenção de ampliar investimentos e operações em Guaíba
10/07/2018 - Inscrições para Feira da Agricultura Familiar na Expointer terminam sexta
09/07/2018 - Polícia Rodoviária Federal prende homem transportando carga sem procedência em Guaíba
09/07/2018 - Coordenadoria de Educação qualifica professores em primeiros socorros
09/07/2018 - Hemocentro precisa de doadores de sangue ao longo de todo o ano
09/07/2018 - Ex-prefeito de Bagé deve devolver valor pago para publicação em ranking nacional de melhores cidades
07/07/2018 - Polícia apreende armas de brinquedo e Viagra falsificado em Eldorado do Sul
06/07/2018 - CIB realiza doação de 1.600 peças de roupas a Secretaria Municipal de Assistência Social de Butiá
06/07/2018 - BR-153/RS - Ponte do Fandango é interditada a partir de hoje (06/07), em Cachoeira do Sul
06/07/2018 - Asilo Padre Cacique recebe doação do Ministério do Desenvolvimento Social
06/07/2018 - DNIT libera trecho duplicado da BR-116, em Pelotas/RS
06/07/2018 - Não vacinar é um ato irresponsável
06/07/2018 - Edinho em Guaíba
06/07/2018 - Guaíba implantará sistema de conteinerização de lixo
05/07/2018 - Quanto custa mudar de país?
05/07/2018 - Corsan autoriza início de obras e coloca em operação sistema de esgotos em Guaíba
05/07/2018 - Operação interdita desmanche e apreende 20 toneladas de sucata em Novo Hamburgo
05/07/2018 - Governo do Estado contrata 949 servidores para a Segurança Pública
05/07/2018 - Assinado o edital para Concurso Público da Prefeitura de Eldorado do Sul
05/07/2018 - Firmado protocolo de intenções para combate à discriminação étnico-racial
04/07/2018 - Nota oficial do DNIT referente à BR-290/RS:
03/07/2018 - DNIT/RS restringirá tráfego de caminhões sobre a Ponte do Fandango, em Cachoeira do Sul
03/07/2018 - Parlamento gaúcho reconhece e legitima Programa LIDER
03/07/2018 - Câncer de mama: qual a importância do diagnóstico precoce?
03/07/2018 - A tecnologia na transformação dos motoristas e do trânsito
03/07/2018 - Makro participa de Campanha do Agasalho da Cruz Vermelha
03/07/2018 - Unidade Sesc/Senac Guaíba promove aula experimental do curso de Cuidador de Idosos
03/07/2018 - Como otimizar sua loja virtual no ambiente físico na era das compras sem barreiras
03/07/2018 - Alimentação pode amenizar os efeitos da menopausa
03/07/2018 - Genética cumpre papel importante no diagnóstico do autismo
03/07/2018 - Badesul financia R$ 3,1 milhões para municípios investirem em infraestrutura
03/07/2018 - Operações integradas têm melhores resultados no RS com 97 prisões
03/07/2018 - Eldorado do Sul realiza o II Festival Municipal de Danças
02/07/2018 - Regulamentada a lei que cria política do carvão e polo carboquímico
02/07/2018 - Leilões do DetranRS ofertam mais de 3 mil veículos e sucatas neste mês de julho
02/07/2018 - Estudantes da Fundação Liberato participam de feira no Chile
01/07/2018 - Lavagem automotiva
01/07/2018 - Pracinhas de Madeira Tratada
01/07/2018 - Farmácia do Noel
01/07/2018 - Barbearia Roque
01/07/2018 - Fisioterapia no Parque Eldorado
01/07/2018 - Educadores de Eldorado do Sul recebem treinamento de primeiros socorros
29/06/2018 - Butiá é o segundo município mais desenvolvido da região carbonífera, revela pesquisa
01/06/2018 - Anuncie no Jornal ECO do Jacuí
01/06/2018 - Mecânica e Retífica de Motores
01/06/2018 - Serviços de Contabilidade
07/02/2009 - Homem é preso com 36 kg de drogas e 1,6 mil munições em Alvorada



Edição n° 181 - Julho 2018

Selecionar Edição
  • Edição n° 181
  • Edição n° 180
  • Edição n° 179







  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821