Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 19 de Setembro de 2018. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
25825087


Edicão n° 183 de Setembro 2018


Plágio no Enem mostra que precisamos melhorar o ensino da escrita - e a correção da prova
07/02/2018

O recente episódio de plágio no Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) evidencia pelo
menos dois grandes problemas da educação básica brasileira. O primeiro é que não
preparamos nossos jovens para a escrita original, criativa, que compile ideias inéditas. O
segundo é que não temos tecnologia suficiente para mapear a falta de originalidade da
escrita na principal avaliação do ensino médio brasileiro da atualidade.

O caso de plágio no Enem aconteceu em Salvador/BA. Como amplamente divulgado pela
imprensa, um aluno teria copiado a sinopse inteira de um livro na redação, que aparece
no segundo dia de provas. O tema sobre o qual os alunos tinham de dissertar era
educação para surdos - assunto difícil, como de costume no Enem, e que exige soluções
criativas e muita reflexão para inclusão na educação daqueles que, hoje, ainda ficam de
fora.

O plágio no exame nacional é a ponta de um iceberg maior e mais profundo do que
sequer imaginamos. Nossos alunos não são treinados para a escrita original, para
desenvolver ideias criativas, para pensar em soluções e para concatenar as propostas
em frases e parágrafos que façam sentido e que convençam o leitor. Sem essa
habilidade, considerada essencial para o século 21 pela maioria dos especialistas, muitos
acabam se valendo da cópia de trechos ou de textos inteiros - como aconteceu,
ilicitamente, em Salvador.

Por sorte, um dos corretores da prova plagiada tinha lido recentemente a obra copiada e
provavelmente se recordava de trechos. Deve ter consultado a internet e chegou ao
veredito: era uma cópia. É assim que a maioria dos professores no país ainda identifica
trechos de plágio nos trabalhos dos alunos. Esforçam-se, muitas vezes inutilmente, para
tentar trazer da memória trechos que possam ter sido copiados; buscam na internet
partes do texto que estão exageradamente bem escritas, que destoam do restante do
material ou que parecem ter sido traduzidas. Nesse esforço exaustivo, algumas vezes
encontram a cópia, outras não.

Se o corretor não tivesse conhecimento da obra em questão, e sem tecnologia que ajude
a identificar o plágio na correção do Enem, o aluno de Salvador teria passado com boa
nota? O governo já usa tecnologia na correção das questões da prova - é a chamada
TRI, que identifica o padrão do aluno e dá menos pontos para questões que foram
"chutadas", por exemplo. Assim, a nota no Enem nunca é proporcional ao número de
acertos - e pode passar de mil pontos.

O fato é que já existem tecnologias suficientemente consolidadas que poderiam auxiliar
os professores e melhorar a chamada escrita original dos alunos ao longo do processo
educativo. São os chamados softwares antiplágio, utilizados pelas principais
universidades e escolas de Ensino Médio, no Brasil e do mundo. Os mais completos
permitem que os alunos, de escola ou de universidade, submetam seus trabalhos na
plataforma e recebam um relatório de similaridade, antes mesmo de entregá-los ao
professor. Assim, o aluno treina a escrita, o encadeamento de ideias, além de refletir
sobre problemas e soluções. Trata-se de um estudante que, ao chegar em um exame
como do Enem, não precisa ilicitamente copiar um trecho de um livro, pois ele próprio
poderá ser um futuro autor de um livro que traga uma ideia original.

O Enem acerta ao exigir que alunos escrevam na prova (o restante do exame é
composto por questões que se distribuem em quatro áreas do conhecimento, como
linguagens e ciência da natureza). Universidades e programas como o FIES, de
financiamento estudantil, também vão na direção correta ao exigirem uma nota mínima
na redação. Agora, as escolas precisam se mobilizar mais intensamente para trabalhar a
escrita original dos alunos - e, de outro lado, o governo também precisa garantir que os
alunos com escrita original de verdade recebam as maiores notas na redação.


Mariana Rutigliano*
* Gerente de marketing da Turnitin, plataforma de tecnologia voltada para educação






Edicão n° 183 de Setembro 2018
08/02/2030 - Hospital de Butiá recebe novo aparelho de raio-x
18/09/2018 - Setembro Dourado conscientiza sobre câncer infantil com apoio de órgãos estaduais
18/09/2018 - Procon RS alerta para novas medidas na área de telefonia móvel
18/09/2018 - Comitiva de SC vem ao estado conhecer a experiência da Operação Desmanche
18/09/2018 - Governo apresenta a prefeituras o plano de prevenção contra cheias
18/09/2018 - Rio Grande do Sul atinge meta da vacinação contra pólio e sarampo
18/09/2018 - Novo Referencial Curricular vai destacar os povos que formaram o Rio Grande do Sul
18/09/2018 - Fepam assina termo de compromisso para logística reversa de baterias automotivas
18/09/2018 - Adolescentes da Fase confeccionam bonecas para crianças do Instituto do Câncer Infantil
08/09/2018 - Gestão é receita das escolas estaduais melhor avaliadas no Ideb
08/09/2018 - Procon RS alerta sobre os recalls de setembro
04/09/2018 - Reta final: projetos de estudantes podem ser inscritos no Desafio Criativos da Escola até o dia 1º de outubro
04/09/2018 - SMEC capacita profissionais em Eldorado do Sul
04/09/2018 - Banda de Percussão de Eldorado do Sul conquista título em Osório
04/09/2018 - Prefeito recebe o novo delegado da Polícia Civil
04/09/2018 - Aproximação com o médico e gestão pedagógica
04/09/2018 - Chegou a hora de eleger!
04/09/2018 - Administração Municipal inaugura Escola Professor Alcides Conter, em Butiá
04/09/2018 - Operação Viagem Segura de Independência ocorre de quinta a domingo
04/09/2018 - Força Gaúcha de Pronta Resposta inicia atividades contra criminalidade
03/09/2018 - Madeira Tratada
01/09/2018 - Lavagem automotiva
01/09/2018 - Farmácia do Noel
01/09/2018 - Barbearia Roque
01/09/2018 - Serviços de Contabilidade em Eldorado do Sul
01/09/2018 - Fisioterapia no Parque Eldorado
31/08/2018 - Ferramenta permite registro rápido e fácil de produtores florestais
31/08/2018 - BM forma mais de 400 PMs permitindo o retorno de praças às ruas
31/08/2018 - SES abre processo para contratação emergencial de técnicos de enfermagem
31/08/2018 - Uergs recebe inscrições para Mestrado em Ambiente e Sustentabilidade até quarta-feira
31/08/2018 - Melhora o desempenho do Rio Grande do Sul na Prova Brasil
31/08/2018 - Daer usa tecnologia pioneira para inspecionar rodovias com altos índices de acidentes
31/08/2018 - DetranRS abre inscrições para curso EAD de Educação para Ciclistas
31/08/2018 - Capital gaúcha é pioneira em programa de rastreamento do câncer de intestino
31/08/2018 - Unidade Sesc/Senac Guaíba oferece cursos Técnicos EAD
31/08/2018 - Abertas as inscrições para realização do 2º processo seletivo de estágio na prefeitura de Eldorado do Sul
30/08/2018 - DNIT realiza ações do Programa de Saúde Pública na duplicação da BR-116/RS
30/08/2018 - Chama Crioula chega em Butiá
30/08/2018 - Saiba como conquistar o crédito rural e a regularização fundiária
30/08/2018 - Campanha de vacinação contra pólio e sarampo terá novo Dia D no sábado
29/08/2018 - Polícia Rodoviária Federal recupera dois carros roubados em desmanche na Região das Ilhas
23/08/2018 - Secretaria Municipal de Obras e Viação (SMOV) realiza limpeza no Bairro Itaí
16/06/2018 - Observe suas palavras
01/12/2017 - Mecânica e Retífica de Motores



Edição n° 183 - Setembro 2018

Selecionar Edição
  • Edição n° 183
  • Edição n° 182
  • Edição n° 181







  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821