Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 13 de Dezembro de 2018. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
26684899


Edicão n° 186 de Dezembro 2018


Entenda como doenças respiratórias prejudicam a qualidade do sono
10/01/2018

Os desafios das doenças respiratórias vão além da dificuldade do diagnóstico e a
banalização dos sintomas, frequentemente deixados de lado. Tosse e fadiga são os
principais indícios de que algo não vai bem com o sistema respiratório, porém, muitas
vezes, os pacientes demoram para procurar ajuda médica. Antes de se consultar com
um especialista, é comum que as pessoas busquem receitas caseiras e recorram à
automedicação, acreditando que o problema não seja grave. Ao contrário do que se
imagina, pacientes com doenças respiratórias crônicas não precisam conviver com os
sintomas, já que com o tratamento correto e acompanhamento médico, é possível
conviver bem com a condição. A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica, também
conhecida como DPOC, é um dos exemplos desse tipo de doença. Ela é caracterizada
pela dificuldade da passagem de ar para os pulmões e pode ser manifestada como
bronquite, uma inflamação das vias respiratórias, e/ou enfisema pulmonar, que diminui
a elasticidade dos pulmões e provoca a destruição de partes dos pulmões.

Um estudo realizado nos Estados Unidos[i], com mais de 13 mil pacientes com DPOC,
mostrou que 64% deles sentem que a doença tem impacto negativo na sua qualidade de
vida. Os resultados também ressaltam que 76% dos pacientes fizeram teste do sopro e
que apenas metade deles usavam pelo menos uma medicação para a DPOC. No Brasil,
os dados sobre o conhecimento da doença também são alarmantes. Segundo a pesquisa
“Panorama da Saúde do Brasileiro”[ii], encomendada pela Boehringer Ingelheim para o
IBOPE Inteligência, pouco mais da metade dos brasileiros não sabe nada sobre a DPOC,
embora seja uma doença comum e que afeta mais de 7 milhões de pessoas só no
Brasil[iii].

A DPOC tem como principais sintomas a dificuldade para respirar e o cansaço constante,
que podem limitar as atividades do cotidiano do paciente. É comum que pacientes com
DPOC despertem algumas vezes durante a noite, porque a condição dos pulmões exige
um aumento do seu esforço respiratório[iv]. Durante o sono, o metabolismo fica mais
lento, causando algumas oscilações na respiração, que não costumam fazer com que
pessoas saudáveis acordem, mas, no caso dos pacientes com doenças respiratórias
crônicas, essas alterações no fluxo de ar podem provocar tosse e falta de ar durante a
noite[v]. “Muitos pacientes procuram o médico apenas quando começam a ter muitos
problemas ao dormir, como despertares e insônia. Uma das queixas mais frequentes é
da sensação de cansaço. Por isso, a redução da qualidade de sono está atrelada à baixa
qualidade de vida dos pacientes com doenças pulmonares crônicas. Em pacientes
especificamente com DPOC, a queda da oxigenação durante o sono pode levar a
arritmias cardíacas e ao infarto do coração”, reforça o Dr. José Roberto Megda Filho,
Pneumologista e Médico do Sono da Residência de Clínica Médica do Hospital
Universitário de Taubaté e membro das Sociedades Brasileira e Europeia de
Pneumologia.

O Dr. Megda ressalta a importância do acompanhamento da evolução das doenças
crônicas: “Além de um tratamento medicamentoso contínuo, também costumo
recomendar a prática de exercícios físicos, para estimular a respiração e melhorar a
disposição e o condicionamento do paciente. Em alguns casos, também precisamos
implementar o uso do oxigênio durante a noite e/ou durante dos exercícios”.

Causada pelo tabagismo e pela exposição a poluentes, a Organização Mundial da Saúde
(OMS) estima que a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) será a terceira causa
de morte no mundo em 2020[vi]. A falta de informação sobre os sintomas e a
subutilização do exame de espirometria (testes de sopro) são alguns dos principais
fatores que dificultam o diagnóstico da doença[vii]. “Por ser mais observada em pessoas
na terceira idade, é comum que a população não dê a atenção devida quando os
primeiros sinais aparecem, como tosse e cansaço constantes. Geralmente, os pacientes
acreditam que esses sintomas fazem parte do processo de envelhecimento e acham que
são consequências naturais do estilo de vida, como sedentarismo e tabagismo e, por
isso, demoram em procurar ajuda especializada”, explica o Dr. José Megda.

Segundo o GOLD (Iniciativa Global para DPOC), existem 5 sinais que podem ajudar os
pacientes a identificar a doença: ter mais de 40 anos, ser fumante ou ex-fumante, ter
tosse e catarro constante e sentir cansaço ao fazer esforço. Ao detectar esses sinais, as
pessoas devem procurar um pneumologista. Apesar de ser uma doença grave e sem
cura, existem medicamentos que são capazes de estabilizar o progresso da doença e
controlar os sintomas, aumentando a qualidade de vida dos pacientes. Um deles é o
tiotrópio, princípio ativo que é superior na redução do risco de exacerbações moderadas
a graves da DPOC, capaz de diminuir em 16% o risco de mortalidade dos pacientes[viii].






Edicão n° 186 de Dezembro 2018
12/12/2018 - Passe Livre Estudantil e Meia Entrada 2019 – Atendimento da AERGS já iniciou para o Ano de 2019
12/12/2018 - Inovação nas mesas de restaurantes
12/12/2018 - Chegou a hora de retirar o bico
12/12/2018 - Medicina brasileira deve contar com nova área de atuação: a oncogenética
12/12/2018 - Corsan recebe prêmio nacional
12/12/2018 - Feira da Agricultura Familiar se inicia em Porto Alegre
12/12/2018 - Chuvas intensas chegam ao Rio Grande do Sul nesta quarta-feira
12/12/2018 - Seminário debate o uso de novas tecnologias na gestão escolar
12/12/2018 - Eduardo Leite tem o primeiro encontro com o presidente eleito
12/12/2018 - Melhor matar a morte do que perder a vida
12/12/2018 - MP de Canoas instaura inquérito civil para investigar contaminação do solo
06/12/2018 - Encontro debate qualificação da gestão das escolas agrícolas
06/12/2018 - Servidores participam de Roda de Conversa pelo fim da violência contra mulheres
06/12/2018 - Operação Avante Papai Noel garante mais segurança nas compras de Natal
06/12/2018 - Prefeitura convida a comunidade a participar do Seminário do Plano Diretor
06/12/2018 - Prefeitura recebe banda musical do PROJARI
06/12/2018 - Rede de ensino municipal recebe novos computadores
06/12/2018 - Guaíba passa a ter vários CEPs.
06/12/2018 - Prefeitura de Butiá concede desconto e da prêmios para o pagamento do IPTU
06/12/2018 - Primeira Infância Melhor (PIM) realiza evento “Semana do Bebê”, em Butiá
06/12/2018 - Depósito de pães com fezes de roedores em supermercado é interditado
06/12/2018 - Saúde na Escola é abordado em seminário no Centro Administrativo
06/12/2018 - Selo do Inmetro será obrigatório para veículos movidos a GNV no RS
06/12/2018 - Homicídios e latrocínios têm queda no estado conforme dados da SSP
06/12/2018 - Operação desbarata organização criminosa que desviou milhões da saúde de Canoas
05/12/2018 - Bobinas de aço aumentam transporte de cargas no Porto de Porto Alegre
05/12/2018 - Viatura doada pela PRF à BM ajudará em ações de combate às drogas nas escolas
05/12/2018 - Cem mil gaúchos já têm a Carteira Nacional de Habilitação no celular
05/12/2018 - Bandidos são mortos ao tentarem assaltar a Caixa Federal em Arroio dos Ratos.
05/12/2018 - Kits de irrigação serão entregues a pequenos produtores rurais em 346 municípios
01/12/2018 - Pracinhas de Madeira Tratada
01/12/2018 - Anuncie no Jornal ECO do Jacuí
01/12/2018 - Farmácia no Parque Eldorado
01/12/2018 - Prazo para placas do Mercosul no RS será 17 de dezembro
01/12/2018 - Secretaria da Educação conclui processo eleitoral de diretores nas escolas estaduais
01/12/2018 - Casos de Aids registram redução progressiva nos últimos dez anos no RS
01/12/2018 - Zero discriminação às pessoas vivendo com HIV/Aids é tema de campanha publicitária e seminário no RS
01/12/2018 - Receita Estadual e MP desbaratam fraude milionária no ramo de alumínio
01/12/2018 - Levantamento alerta para infestação do Aedes aegypti em 93 cidades do RS
01/12/2018 - Dono de mercado é preso em fiscalização
01/12/2018 - Decreto prorroga prazo para convocação de professores em regime especial
01/12/2018 - Governo contrata 40 médicos reguladores para atuar no Samu estadual
01/12/2018 - Operação Primeiro Comando resulta em 18 prisões no combate a homicídios em Porto Alegre
01/12/2018 - A Vero, rede de adquirência do Banrisul, está lançando um plano com máquina de cartão gratuita. Ao aderir ao Plano Free, o credenciado pode ter a máqu
01/12/2018 - DNIT/RS conclui reforma da Ponte do Fandango em Cachoeira do Sul-RS
01/12/2018 - Último mutirão para desapropriações na BR-116/RS termina com 96% de acordo
01/12/2018 - Dermatologistas visitam escolas de Porto Alegre e incentivam fotoproteção das crianças
01/12/2018 - Plano Nacional Diabólico
01/12/2018 - Coluna da OAB/RS
01/12/2018 - Rematrículas e matrículas da Rede Municipal de Ensino iniciaram nesta segunda-feira (26), em Butiá
01/12/2018 - Atenção para a lista dos contemplados com vaga para a creche e outras informações importantes:
01/12/2018 - Prefeito garante dinheiro para a saúde, em Brasília.
28/11/2018 - Transporte escolar de Eldorado do Sul contará com inspetores escolares
28/11/2018 - Decreto torna área privada em espaço público no bairro Sans Souci



Edição n° 186 - Dezembro 2018

Selecionar Edição
  • Edição n° 186
  • Edição n° 185
  • Edição n° 184







  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821