Eldorado do Sul, Guaíba e Região Carbonífera, 11 de Dezembro de 2017. Página Inicial | Contato
SEÇÕES
Artigo
Educação
Eldorado do Sul
Especial
Geral
Guaíba
Produtos e Serviços
Região Carbonífera
Saúde
Flagrante na Foto
Anunciantes
LINKS
Portal Eldorado
Lantec
Envie sua Mensagem

Você é o visitante n°
8845498


Edicão n° 174 de Dezembro 2017


Ações contribuem para a redução da mortalidade infantil no estado
17/10/2017

Para chegar ao final do ano com um índice histórico de apenas um dígito, ou seja,
aproximadamente 9,5%, os médicos apostam em três fatores preponderantes que
ajudam a reduzir as taxas de mortalidade infantil. Um deles é o combate à doenças
infecto-contagiosas e prevalentes. O incentivo ao aleitamento materno e o
acompanhamento do processo de crescimento e desenvolvimento também integram os
aspectos de decréscimo de óbitos infantis.

- O investimento no pré-natal, principalmente no tratamento das afecções maternas e
assistência adequada durante o trabalho de parto e ao recém-nascido no momento do
nascimento é onde deve estar o foco da redução. Além disso, a instituição do
monitoramento do trabalho de parto junto com a assistência ao recém-nascido no
momento do nascimento colaborou para a redução da anóxia como causa das mortes –
explica o médico associado da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS),
Érico Faustini.

Os três municípios gaúchos com o menor coeficiente de mortalidade infantil (CMI) são
Charqueadas (2,6), Jaguarão (2,9) e Sarandi (3,2). Os dados são do Atlas
Socioeconômico do Rio Grande do Sul e apontam os resultados até 2015.

A preocupação do pediatra deve-se ao fato de que justamente a maioria das mortes
infantis ocorre nos primeiros seis dias de vida e está relacionada com as afecções do
período perinatal, causas associadas a problemas durante a gestação, trabalho de parto
e nascimento.

- As enfermidades maternas podem não estar relacionadas com a gravidez, como a
hipertensão arterial sistêmica ou ser relacionada com a gestação, como ruptura
prematura das membranas e complicações da placenta. Constituem-se em situações
associadas ao nascimento prematuro e aos óbitos por doença da membrana hialina,
infecções ou prematuridade extrema. A assistência deficiente no trabalho de parto
geralmente estão relacionadas às mortes por anóxia – complementa Érico Faustini.

A redução do CMI no estado é reflexo de um pacto firmado em 1990, entre o Brasil e a
Organização das Nações Unidas (ONU), onde o país comprometia-se a reduzir em 2/3 os
óbitos de menores de cinco anos até 2015. O objetivo fazia parte das metas do milênio
como meio de reduzir a pobreza e desigualdade social. Em 2013 o Brasil atingiu o CMI
de 14,4.






Edicão n° 174 de Dezembro 2017
08/12/2017 - Como a saúde mental afeta o corpo
07/12/2017 - Impactos da gravidez cada vez mais tarde
07/12/2017 - Prefeitura de Guaíba instala Wi-Fi gratuito e qualifica sistema de telefonia em escola no morro Santana
07/12/2017 - Entenda a relação do glúten com a sua saúde
07/12/2017 - Prefeitura dialoga com comunidade sobre escola da vila Primavera
07/12/2017 - Conta da CEEE Distribuição está adequada a Lei Estadual 48.118
07/12/2017 - Projeto “Verão Vivo” iniciou nesta quarta-feira em Butiá
07/12/2017 - Secretaria Municipal de Saúde recebe reforço de novos profissionais
07/12/2017 - Governo prorroga prazo para o MEI se regularizar
07/12/2017 - Câmara aumenta para oito anos prisão para bêbado que dirige e mata
07/12/2017 - Tripolina: a cadeira que te acompanha
07/12/2017 - Movimentos entregam petição da transparência para Gilmar Mendes
07/12/2017 - Corsan participa de seminário de saneamento promovido pela Famurs em Guaíba
07/12/2017 - "Imprima o conteúdo"CEEE reforça sistema de energia para qualificar atendimento aos clientes no verão
02/12/2017 - Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc) terá salas de videoaudiência
02/12/2017 - Fepam promove operação de fiscalização em empreendimentos da Serra
02/12/2017 - Curso sobre poda de árvores ocorre no Parque de Itapuã
02/12/2017 - Eldorado do Sul fará obra de R$ 2,8 milhões com recursos do Badesul
02/12/2017 - Junta Digital é o foco do 2º Seminário Brasil Mais Simples/RS
02/12/2017 - Daer está distribuindo cartilha sobre conservação ambiental da Rota do Sol nas escolas da região
02/12/2017 - Governo reforça Polícia Civil com mais 112 inspetores e escrivães
02/12/2017 - Parceria entre Saúde e Novartis beneficia mais de 23 mil pacientes
02/12/2017 - Governo do Estado e Famurs discutem repasses para a Saúde
02/12/2017 - Sartori sanciona lei que cria o Polo Carboquímico do RS em evento internacional
02/12/2017 - Operação Blindado combate negociação de armas e drogas pela internet
02/12/2017 - Butiá lança o Programa “Nota Fiscal Legal
02/12/2017 - Secretaria de Agricultura da destinação correta às pilhas, baterias e lâmpadas, em Butiá
02/12/2017 - Dezembro Laranja aborda doenças de pele e comportamento suicida
02/12/2017 - Você sabe o que são doenças oportunistas e porque elas atacam o imunodeprimido?
02/12/2017 - 5 passos para prevenir o Alzheimer
02/12/2017 - Justa reconhecimento à dedicação no trabalho
02/12/2017 - Agricultores dos Assentamentos do Parque Eldorado são auxiliados pela Prefeitura de Eldorado do Sul e Emater
01/12/2017 - Lavagem automotiva
01/12/2017 - Mercado e Açougue
01/12/2017 - Artesanato João das Cuias
01/12/2017 - Farmácia do Noel
01/12/2017 - Estalagem Bom Samaritano
01/12/2017 - Serviços de Contabilidade
01/12/2017 - Playgrounds de madeira
01/12/2017 - Anuncie no Jornal ECO do Jacuí
01/12/2017 - Padaria e Confeitaria
01/12/2017 - Mecânica e Retífica de Motores
01/12/2017 - Barbearia Roque



Edição n° 174 - Dezembro 2017

Selecionar Edição
  • Edição n° 174
  • Edição n° 173
  • Edição n° 172













  • Av. Roque J. O. Giacomelli, nº 542, Pq. Eldorado - Eldorado do Sul - Fone (51) 3481 1821